Toda viagem tem um perrengue

Os perrengues de viajar com pets!

Olá amigos da Camille! Tudo certinho aí do outro lado da tela? Espero que sim!

Esse é mais um textinho que “quebra” a sequência das viagens em busca da Disney, mas que pode ser extremamente útil para você, doce viajante, dono, pai, mãe de um doguinho ou doguinha, gatinho ou gatinha, peixinho ou seja lá qual animalzinho é responsável por te fazer a mais agradável companhia ao longo da vida. Porque vai ser sobre viajar com pets.

Antes de entrar em mais detalhes dos perrengues que é viajar com pets, gostaria de te contar que sou uma apaixonada por animais, especialmente cathioros. Tive o Níne (nome verdadeiro: Billy), um poodle misturado com vira-lata, que era a coisa mais linda desse mundo, meu fofíneo que me fez feliz por quase 20 anos. Depois que eu casei, decidi ter um cachorro na casa da minha mãe! Hahaha esperta eu! Ela se chama Lolla – uma shitsu, mas como ela tem cara de Iti Malia, todos a chamam assim. Muito mais legal, né? Também acho.

A nossa aventura começa com os meus pais fazendo questão de levar a Iti para essa viagem. Que na verdade estava marcada para o natal de 2020, mas que acabamos cancelando por causa da pandemia. Com todos vacinados, remarcamos nossa ida à Natal (sim, a gente ia passar o natal em Natal. Há!) para o final de agosto, e agora é hora de contar um pouquinho mais de como foi esse processo. Vem comigo?

Viajar com pets: Hospedagem

Olha, se você é daqueles que gostam de um café da manhã de hotel, que adora sair com a cama desarrumada e voltar com o lençol dobrado perfeitamente e amenities perfeitas no banheiro, já te digo que isso precisará ser levado em consideração na hora de decidir levar ou não seu pet na viagem. Sim, estamos num momento muito diferente do cenário hoteleiro, com muitos hotéis adotando um posicionamento pet friendly. Contudo, é preciso checar detalhadamente até que ponto cada hotel é realmente “friend” do seu bichinho.

Explico: alguns dos hotéis que pesquisei na cidade de Natal são pet friendly, contudo, você não pode deixar o animal sozinho no quarto. Se você for fazer um passeio, tem que levar o bichinho. Enquanto uma pessoa toma café, outra tem que ficar no quarto. Se você quiser aproveitar a piscina, a outra pessoa que viaja com você (se tiver), terá que ficar com o animalzinho. Não é uma logística simples, e sim, entendo completamente o posicionamento dos hotéis, pois quem viaja não quer ser incomodado com latidos ou choro no quarto ao lado.

Airbnb

Então, se você topar abrir mão dos “confortos” de um hotel para conseguir viajar com pets, recomendo fortemente procurar opções de casas ou apartamentos que aceitem hospedagem com iti malios. O Airbnb acaba sendo sempre uma ótima opção e foi o que nos salvou. Estávamos em 4 (eu, meu marido e meus pais – além da Iti Malia, claro!!!) e encontramos um apartamento sensacional, com ótimo custo-benefício e com uma dona maravilhosa que nos passou tantas dicas boas que compensaram o fato de não termos as regalias de um hotel. Além disso, ela deixou separado dois potinhos para a nossa Iti beber água e comer ração. Isso, mores, aquece nos nossos corações e faz a gente ter esperança na humanidade.

Pausa para agradecer a Zenilde, que tem um espaço maravilhoso em Natal, no coração de onde tudo acontece, com uma vista de tirar o folego, e um apartamento completíssimo. Não deixe de conhecer o espaço dela: link (não é publi!!!)

Voltando aos perrengues de viajar com pets, tivemos a sorte de encontrar um lugar bacana para hospedar todos nós e a nossa lindeza de quatro patas. Mas é importante pesquisar bem e esclarecer com o dono da casa ou apartamento as regras para hospedagem com pet. Por exemplo, muitos lugares aceitam pets de pequeno porte, ou seja, você que viaja com o seu Golden lindo, provavelmente vai ter mais trabalho que eu nessa jornada!

Leia também: Europa 2: atraso, briga com o chef, multa, furto e muito mais

Voos

É mores, é aqui que o bicho pega – e olha que não é um trocadilho. Cada companhia área possui regras específicas e diferentes para fazer o transporte de animais. Sim, elas precisam seguir regras especificas da ANAC, como pedir ao passageiro que apresente um atestado veterinário de 10 dias de validade sinalizando que o bichinho está apto a viajar de avião, além da carteira de vacinação completinha e atualizada.

Gol x Latam

Nós fomos de Gol e voltamos de Latam, então posso te contar como cada uma funciona. A Gol é, sem dúvida, a mais prática no processo de viajar com pet – mas também a mais cara. Logo que você compra as passagens, pode selecionar pelo site ou app, “serviços extras”, onde você consegue adquirir por R$250,00 a companhia do seu bichinho em um voo nacional. É importante não deixar para comprar esse serviço de última hora, pois existe um limite de quantidade de pets que podem embarcar no avião. Uma vez que você já garantiu o lugarzinho do meu bichinho, é hora de checar se ele pode viajar com você na cabine, ou se ele vai no bagageiro do avião. Isso vai depender do peso do seu bichinho.

A Gol permite que animais de até 10 quilos embarquem com você, acima disso, eles precisam ser “despachados” com a sua mala. Mas calma, a cia aérea destaca que o processo é feito com cuidado e que o local onde vão as bagagens não é gelado, como a grande maioria imagina. Já na Latam, o mesmo serviço sai por R$200,00, mas o bichinho não pode ter mais que 7 quilos. Então seu animalzinho vai ser que fazer uma dieta se quiser ficar pertinho de você no caminho até o seu destino.

Não encontramos o serviço disponível para compra pelo site, então sim, tivemos que ficar alguns bons longos minutos no telefone, esperando um atendimento da Latam para solicitar o embarque da Iti Malia. Se for utilizar esse tipo de serviço, já tenha em mãos informações como o peso e a raça do animal, além claro do número do voo, pois isso será questionado no momento da reserva.

Sobre o kennel

Como mencionei anteriormente, cada cia aérea tem suas regras específicas para o transporte de animais, incluindo o tamanho do “kennel”. Conhecido por nós mortais como caixa de transporte. Na Gol, as dimensões são um pouco maiores que na Latam, mas tudo vai depender se o seu bichinho vai com você na cabine ou no bagageiro. Veja as regras:

Gol: https://www.voegol.com.br/servicos-gol/viajando-com-animais-de-estimacao. A Gol fez uma parceria com a Cobasi para vender o próprio kennel. Sim, custa um rim, mas não deixa de ser uma oferta bacana e uma forma de a companhia aérea não encrencar com o tamanho da caixa de transporte, afinal, ela que está vendendo a caixa.

Latam: https://www.latam.com/pt_br/informacao-para-sua-viagem/servico-de-transporte-de-animais-de-estimacao/na-cabine/

Vale destacar aqui que as companhias são sim BEM criteriosas. Eu li e vi alguns vídeos antes de embarcar com a Iti e achei que seria mais tranquilo. A Latam, por exemplo, quase não deixou a gente embarcar por conta do formato do kennel. Só foi possível quando comprovamos que a caixa era confortável para o animal. Então sim, é preciso ter máxima atenção nesse momento, pois não seguir as regras exatas, podem impedir o seu embarque.

Viajar com pets: a viagem nas alturas

Cachorrinha no aeroporto, dentro do kennel exigido para viajar com petsVocê precisa chegar mais cedo ao aeroporto, com no mínimo 2 horas de antecedência em voos nacionais – mas se puder, chegue ainda mais cedo. Isso porque se der alguma coisa errada, você tem tempo de tomar alguma providência. Exemplo: caso a cia aérea não aceite a caixa de transportes que você comprou, há tempo hábil de procurar e comprar uma nova. O check-in para quem vai viajar com pets só pode ser feito no aeroporto, onde você será direcionado para uma fila especial para pesagem do animal, análise do kennel, atestado, carteira de vacinação e outros formulários que são solicitados pela cia aérea.

Vale destacar que, uma vez no aeroporto, o animal precisa ficar no colo ou no kennel. Vimos alguns animais circulando na coleira, mas pode ser que algum segurança encrenque. E falando em segurança, no momento de pré-embarque, onde você passa pelo raio-x, se você estiver com mais uma pessoa, peça para que ela te ajude com as sua mochila ou bolsa. Assim você consegue passar por esse procedimento mais tranquilamente, pois será preciso tirar o animal da caixa e passar com ele pelo detector de metais.

Importante: se você vai viajar com pets, diga tchau a sua mala de 10 quilos! Você não pode embarcar com um pet + a mala da cabine.

O destino

Mores, se tem uma coisa que eu aprendi com a Camille é que você precisa estudar muito bem o local para onde você está viajando, então não deixe de checar se o destino permite animais nas atrações onde você pretende ir. Tenha uma lista de locais pet friendly, assim como veterinários (inclusive 24 horas) nas proximidades de onde pretende se hospedar. Se você vai ficar mais de 10 dias, não esqueça de renovar o atestado do seu pet por meio de uma consulta com um veterinário local.

Outro ponto importante, que a Camille também sempre destaca nos posts dela: cuidado e respeito com o lugar onde você está visitando. Essa atenção precisa ser redobrada quando você viaja com animais, porque sim, existem pessoas que não gostam de bichos (e elas estão totalmente no direito delas) e ninguém precisa conviver com o xixi ou cocô do seu animalzinho. Não deixe de levar saquinhos para fazer a coleta dos dejetos e, se possível, uma garrafinha de água para “dar uma lavadinha” no xixizinho do seu iti malio.

Vale a pena?

Caixa de transporte para viajar com pets dentro do aviãoGente, essa pergunta vai depender de pessoa para pessoa – o local para onde vai, horas de voo, cia aérea, disposição para abrir mão de certos confortos e se adaptar a algumas regras e um rotina de viagem diferente. Eu, Natasha, tive a triste oportunidade de ver a minha felpuda morrer de medo durante todo o voo – pois sim, os bichinhos precisam permanecer o tempo todo na caixa de transporte. Ela chorava desesperadamente e tentava, o tempo todo, rasgar o kennel. Foi muito triste ver essa cena duas vezes.

Claro que você pode seguir a orientação do veterinário e avaliar algum tipo de calmante ou essência que ajude a acalmar o bichinho. Também é importante fazer um trabalho prévio com o animal, fazendo ele se acostumar com o kennel – colocando petisco dentro da caixa de transporte, brinquedos e até incentivando ele a dormir ali.

Como para mim o processo de viajar de avião com o a minha bichenta foi muito traumático, não recomendo. Digo isso porque além de ver a minha Iti Malia passar muito mal durantes os voos (o que foi o principal fator para essa decisão), também enfrentamos perrengues que quase impediram o nosso embarque, como o tamanho do kennel e outras questões de documentação.

Alternativas para viajar com pets

Apesar de ter sido maravilhoso ter a minha neném pertinho de mim e aproveitando uma praia comigo, não quero que ela tenha que passar por isso novamente. Pois acaba sendo estressante para quem viaja e principalmente para o animalzinho (no caso da Lolla). Se você tiver uma pessoa ou hotelzinho de confiança, melhor para você e para o seu bichinho.

Mas se você tiver coragem, vai fundo, só não deixe de prestar atenção em todos os detalhes exigidos pela cia aérea, além de fazer uma boa reserva $$$ pra financiar o transporte do seu mascote. Pois eu te garanto, pode sair mais caro que sua própria passagem. E sempre tem a opção de viajar para algum lugar de carro – mesmo que ainda assim não seja confortável para o animalzinho, é certamente menos barulhento e traumático.

É isso mores, espero que tenham gostado. Dúvidas? Deixa seu comentário aqui embaixo que eu tento te ajudar, beleza?

Beijos no seu coração viajante!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *