América do Sul,  Chile,  Cordilheira dos Andes,  Estações de Ski,  Portillo,  Santiago

Onde ver neve em Santiago: 6 opções perto da capital do Chile

O Chile é um destino bem procurado no inverno pela possibilidade de ver neve em Santiago e outras cidades do país. A proximidade da Cordilheira dos Andes faz do sonho do inverno branquinho algo possível, e bom, que atire a primeira pedra o brasileiro que nunca sonhou em ver a neve!

De estações de ski a paisagens naturais, você vai querer fazer todos os tours, então vou te falar um pouco sobre cada um deles pra ajudar na decisão. Contudo, é importante lembrar que não dá pra ver neve em Santiago durante todo o ano, apenas no inverno. Por isso, programe a sua viagem para acontecer entre junho e meados de setembro, assim as chances de algo dar errado são quase nulas!

Além disso, prepare-se: de Santiago a gente vê a Cordilheira bem pertinho, e se deparar com ela toda nevada é emocionante – tipo chegar em Paris e ver a Torre Eiffel.

Leia também: Cinco dias em Santiago: como montar o seu roteiro (incluindo passeios a cidades próximas!)

Onde ver neve em Santiago

Cordilheira dos Andes para ver neve em Santiago

Portillo

Existem cinco estações/parques de neve nos arredores de Santiago, mas eles não são todos iguais! Alguns são pra quem quer brincar, outros pra esquiar e ainda tem aqueles só pra admirar a natureza. Por isso, é importante saber bem o que você quer fazer na neve antes de decidir seu destino.

E pensando especificamente nos parques e estações, lembre que temporada de inverno nas estações de Santiago costumam começar no fim de junho e ir até meados de setembro, mas isso pode variar. Então, verifique as datas certinhas antes de viajar.

Além disso, alguns lugares também funcionam no verão com atividades alternativas. Mas tenha em mente que você não vai ver neve, tá?

Onde ver neve em Santiago: tabela com opções para esquiar, brincar e ver paisagens

Valle Nevado

  • Distância de Santiago: 66km.
  • Duração do passeio: dia inteiro ou hospedagem no complexo.
  • Valores: gratuito para a entrada. Para esquiar: 5.000 CLP (Valle Plus) + ticket diário (de 20.300 a 54.000 CLP) + gastos com aulas e alimentação. Contudo, os valores não incluem transporte/agência. Preços consultados em setembro de 2021.
  • Site oficial: https://vallenevado.com/pt

O passeio mais clássico pra ver neve em Santiago é o Valle Nevado, uma estação de ski na Cordilheira dos Andes. Ele é um dos indicados caso você queira de fato esquiar ou praticar outros esportes de neve. Portanto, se seu objetivo é só curtir a neve e se divertir, o Valle Nevado pode não ser a melhor escolha.

Falando um pouquinho mais sobre o Valle Nevado, ele está localizado na cidade de Lo Barnechea, e foi criado em 1988 por franceses, que tiveram como inspiração as estações de ski europeias. Para além da estrutura para esportes de neve, lá você encontra três hotéis, 10 edifícios de apartamentos, uma série de bares e restaurantes, lojas, aluguel de roupas, academia e até um minimercado.

Como organizar sua visita

Em suma, existem três opções para conhecê-la: com uma agência e fazendo day use, sozinho e fazendo day use, ou se hospedando no próprio complexo. Pra ficar mais fácil, vou listar os prós e contras de cada um:

  • Com agência: é ótimo não ter que dirigir na neve, mas seu passeio vai ficar mais engessado e durar menos tempo. Dessa forma, pra evitar frustrações, pesquise bem as opções oferecidas pelas agências (tempo de duração, quantas pessoas na van, se fazem outras paradas e combinam com outros passeios, como vinícolas).
  • Sozinho: você ganha mais liberdade, mas vai ter que encarar a Cordilheira dos Andes, o que eu não recomendo pra quem não tem bastante experiência. Além disso, dá pra contratar um motorista ou combinar com um taxista, mas recomendo pegar indicações de confiança – e infelizmente não tenho como recomendar ninguém.
  • Com hospedagem: você consegue ficar mais tempo e aproveitar mais o complexo, mas a viagem vai ficar bem mais cara. Além da hospedagem e ingressos, você vai ter que dar um jeito de chegar até lá – alugando carro ou contratando um transfer.

O que fazer no inverno

  • Brincar na neve
  • Admirar a vista nos mirantes
  • Aulas na Escola de Ski & Snowboard (pagamento à parte + equipamento)
  • HeliSki (pagamento à parte + equipamento)
  • Aproveitar os bares e restaurantes (caros)

O que fazer no verão

  • Observação de flora e fauna
  • Restaurantes
  • Ciclismo
  • Trekking
  • Fotografia
  • Teleférico
  • Cavalgada

Farellones

  • Distância de Santiago: 55 km.
  • Duração do passeio: dia inteiro.
  • Valores: De 15.000 CLP a 30.000 CLP para a entrada + todas as atividades tirando ski e snowboard. Além disso, armários, aulas e equipamentos podem ser pagos à parte. Preços consultados em setembro de 2021.
  • Site oficial: https://www.parquesdefarellones.cl/ticket/

Se o seu sonho é passar horas e horas brincando e fazendo anjinho na neve, o Parque Farellones é tudo o que você está buscando. Ele faz parte do complexo El Colorado e também é uma estação de esqui, porém, as atividades vão além disso. Lá você vai encontrar uma série de atividades pra brincar na neve, como tubing, e passar horas se divertindo.

Como organizar sua visita

O esquema pra conhecer Farellones é parecido com o do Valle Nevado, mas existem alguns poréns. Primeiro, não dá pra se hospedar no parque, e segundo, existe um serviço de transfer oficial, que te ajuda a economizar. Mas, em resumo:

  • Com agência: se aplicam as mesmas condições do Valle Nevado – é ótimo não se preocupar em dirigir, mas veja se o pacote e horários combinam com o que você espera do passeio.
  • Sozinho: de novo, a liberdade é o grande atrativo, mas dirigir na Cordilheira não é recomendado pra quem não tem experiência.
  • Com transfer: um dos grandes diferenciais do Farellones é a opção do transfer. Se você estiver sozinha, ou preferir ir sem agência, pode pegar uma van do parque na Plaza de Armas ou no Parque Arauco. Por último, o transfer sai às 07h30 e 08h, respectivamente, de terça a domingo, e retorna às 17h.

O que fazer no inverno

  • Brincar na neve
  • Apreciar a paisagem
  • Aproveitar os restaurantes e cafés
  • Escalada
  • Trekking
  • Muitas atividades de neve (tubing, snow bikes, mountain cart, canopy, teleférico, etc)
  • Ski e snowboard

O que fazer no verão

  • Teleférico
  • Canopy
  • Bikepark
  • Mountain cart
  • Restaurantes
  • Tour fotográfico
  • Trekking
  • Escalada

Leia também: 17 Parques em Santiago para você colocar no seu roteiro

Portillo

  • Distância de Santiago: 147 km.
  • Duração do passeio: dia inteiro.
  • Valores: o complexo não cobra de visitantes que vão apenas pra ver a Laguna del Inca, então você vai gastar apenas com o transporte (recomendo agência) + almoço no hotel, se quiser. Porém, os valores de day use para esquiar variam de 8.500 a 48.ooo CLP.
  • Site oficial: https://www.skiportillo.com

Temos aqui mais uma opção pra ver neve em Santiago. O passeio “Portillo” corresponde a uma ida ao hotel Ski Portillo, que também é a estação de esqui mais antiga da América do Sul. Mas acontece que as pistas de neve não são seu principal atrativo: na realidade, a gente sobe a Cordilheira pra ver a Laguna del Inca. O lago está a 3.200 metros de altitude e é uma das paisagens mais lindas que eu já vi. Ah, no verão ela descongela e fica verdinha, com uma cor tão espetacular que existe até um mito sobre isso.

Laguna del Inca em Portillo, Cordilheira dos Andes

Segundo a lenda, dois príncipes incas, Illi Yupanqui e Kora-llé, eram muito apaixonados e resolveram se casar em um cume bem próximo da lagoa. Contudo, Kora-Ilé morreu durante a cerimônia, e devastado, o príncipe decidiu que ela merecia um sepultamento especial.

Por isso, seu corpo foi depositado no fundo da lagoa, e reza a lenda que assim que ele chegou no fundo do lago, suas águas adquiriram um tom verde esmeralda, igual à cor dos olhos da princesa. Triste, né?

Como organizar a sua visita

Voltando ao passeio, a logística para ir até Portillo não difere muito das outras, mas sempre há algumas peculiaridades. Por exemplo: é muito difícil que agências te levem lá pra esquiar. Vamos em detalhes?

  • Agência: é o passeio mais clássico, de dia todo com paradas no caminho, como expliquei acima. A depender da agência, você chega, tira fotos na Laguna del Inca e volta, ficando menos de uma hora por lá. Por outro lado, há agências credenciadas pra entrar no hotel com seus passageiros, e almoçar – pago à parte. Eu considero essa opção ideal, porque são poucas as agências que ficam, e isso significa que o mirante pra Laguna fica mega vazio.
  • Sozinho: nada te impede de pegar o carro e subir a Cordilheira, mas eu não recomendo. A não ser que você tenha muita experiência em estradas sinuosas e com neve.
  • Se hospedando no hotel: é a melhor opção pra quem quer esquiar, tendo em vista que a estação não fica tão próxima de Santiago, e apesar da pompa, não precisa ser uma hospedagem absurdamente cara. Isso porque há quatro tipos de acomodações em Portillo, e uma delas é um tipo de hostel, com quartos compartilhados.
  • Day use: Portillo também oferece a opção de day use para esquiar. Os valores básicos vão de 8.500 CLP a 48.000 CLP apenas com acesso às pistas, mas pacotes mais caros oferecem almoço.
  • Transfer do próprio hotel: Por fim, o complexo possui uma rede de transfers, que você pode contratar de forma privativa ou compartilhada. Os valores vão de US$ 80 a US$ 460 por pessoa e por trecho, mas vale ver direitinho se as opções se encaixam na sua viagem. Isso porque as vans compartilhadas não operam em todos os dias e horários, e como deu pra perceber, os preços são salgados.

O que fazer no inverno

Laguna del Inca em Portillo, com a lagoa congelada e a Cordilheira dos Andes nevada

  • Apreciar a neve
  • Ver a Laguna del Inca
  • Brincar na neve
  • Se hospedar no hotel
  • Esquiar
  • Fazer aulas de esportes de neve

O que fazer no verão

  • Ver a Laguna del Inca
  • Se hospedar no hotel
  • Admirar a Cordilheira dos Andes sem neve

Minha experiência

Falando da minha experiência, eu queria muito ver neve em Santiago, então fui para Portillo com a Destino Chile e na época tudo foi perfeito, incluindo a parte de ficar até mais tarde. Contudo, em uma pesquisa recente descobri que passageiros estão com dificuldades para contatar a agência durante a pandemia, pra tratar de reembolsos, por isso não tenho como continuar recomendando-a.

Leia também: Transportes em Santiago: como andar de metrô, ônibus, sair do aeroporto e mais!

La Parva

Então, chegamos às duas estações de ski menos conhecidas dos arredores de Santiago, começando com La Parva.

  • Distância de Santiago: 59 km.
  • Duração do passeio: dia inteiro.
  • Valores: Parvapass (5.000 CLP) + valores variados para uma série de pacotes que o resort oferece. O day use, por exemplo, pode variar de 13.500 a 52.500 CLP, a depender das idades e épocas do ano. Aqui é importante checar, indo com agência, se os ingressos já estão no pacote ou não.
  • Site oficial: www.laparva.cl

Se você quer um lugar menos turístico para esquiar, La Parva pode ser uma ótima opção. Isso porque ela não é o passeio mais tradicional, e costuma atrair mais locais e atletas profissionais durante a temporada de inverno. Além disso, lá você vai contar com toda a estrutura necessária (apartamentos, restaurantes, lojas, mercado, aluguel de equipamentos), com aulas de esqui e snowboard, e cerca de 30 pistas nas montanhas.

Como organizar a sua visita

Continuando, não temos muitas surpresas por aqui:

  • Com agência: ótima opção pra quem só quer passar o dia e não gosta/sabe dirigir na neve.
  • Sozinho: toda a liberdade do mundo no seu passeio, contudo, é preciso muito cuidado e experiência para dirigir nas estradas sinuosas e nevadas dos arredores de Santiago.
  • Com hospedagem: La Parva conta com uma série de apartamentos de aluguel, então você pode ficar por lá caso queira aproveitar mais dias de esqui. Todavia, como os aluguéis podem ser bem caros, você também pode pesquisar pousadas e hotéis nas proximidades, o que vai sair bem mais em conta.

O que fazer no inverno

  • Apreciar a neve
  • Brincar na neve
  • Esquiar
  • Fazer aulas de esportes de neve
  • Fazer esqui noturno
  • Ver fogos de artifício
  • Assistir ao teatro de marionetes e shows de mágica
  • Entre outros

O que fazer no verão

  • Aproveitar o bikepark
  • Ver a Cordilheira sem neve

El Colorado

  • Distância de Santiago: 58 km.
  • Duração do passeio: dia inteiro.
  • Valores: 5.000 CLP na Tarjeta Skipass + inúmeras possibilidades de valores. O day use, por exemplo, varia de 10.000 a 56.000 CLP. Lembrando da importância de checar com a agência, caso vá dessa forma, se o ingresso está incluso.
  • Site oficial: https://www.elcolorado.cl/

Outra opção para ver neve em Santiago é a estação El Colorado, que faz parte do complexo de mesmo nome – lembram de Farellones? Aqui o foco é o esqui e outros esportes de neve, então se você só quer brincar, talvez outra opção seja mais interessante para sua viagem.

Como organizar a sua visita

Em síntese, tudo é bem parecido com La Parva, com a diferença que, além de apartamentos, El Colorado também oferece hotéis em seu complexo.

  • Com agência: a melhor alternativa pra quem não quer dirigir e só pretende passar algumas horinhas esquiando.
  • Sozinho: bom pra quem tem experiência dirigindo na neve e quer ficar mais do que um dia nessa estação nos arredores de Santiago.
  • Com hospedagem: você pode aproveitar e se hospedar por lá, seja nas opções do próprio complexo ou em acomodações próximas, como em Farellones.
  • Com transfer: assim como Farellones, El Colorado também tem um serviço de transfer, em parceria com a Turistik, que te leva de Santiago até a estação, e vice versa. Você pode pegar um ônibus do parque na Plaza de Armas ou no Parque Arauco, saindo às 07h30 e 08h, respectivamente, de terça a domingo, com retorno às 17h.

O que fazer no inverno

  • Ver a neve em Santiago
  • Brincar na neve
  • Esquiar e fazer snowboarding
  • Fazer aulas de esportes de neve
  • Snowpark
  • Club de Ski para crianças

O que fazer no verão

  • Ver a Cordilheira sem neve

Bônus: Cajón del Maipo

Você deve estar se perguntando: cadê Cajón de Maipo nessa lista? O passeio é, de fato, um dos mais famosos pra ver neve em Santiago, e vamos falar dele agora!

Cajón del Maipo/Embase el Yeso

  • Distância de Santiago: 107 km.
  • Duração do passeio: dia inteiro.
  • Valores: o preço vai variar de acordo com a agência que você escolher para o passeio, lembrando que apenas veículos autorizados podem entrar na área na alta temporada (de abril a agosto), justamente a época de neve.

Seguinte: Embase el Yeso é uma represa que fica na área de Cajón del Maipo, região metropolitana de Santiago. O lugar é absurdamente lindo e, por isso, acabou virando uma das principais atrações turísticas da capital chilena. Imagina um enorme lago verde turquesa, rodeado por montanhas da Cordilheira dos Andes, cheias de neve? Então, essa é a paisagem.

Contudo, nem tudo são flores. A região de Embalse el Yeso é bem perigosa, do ponto de vista natural, e uma série de acidentes podem acontecer. Inclusive, pouco antes da minha viagem, em 2019, duas crianças brasileiras morreram durante o passeio, por causa de um deslizamento de pedras. Depois do ocorrido, a área ficou fechada para turistas durante um bom tempo, e só reabriu após uma série de medidas de segurança e novas regras para visitação.

Em resumo, o acesso durante o inverno é muito controlado e restrito, e precisamos esperar o próximo ano para entender como as agências de turismo vão escolher fazer o passeio. Os veículos autorizados só podem chegar até um certo ponto, e pedestres não podem andar na estrada em hipótese alguma.

Isso também vale para o verão, contudo, o acesso quando não há neve e gelo é mais simples e seguro.

Como organizar a sua visita

Tendo em vista a complexidade do programa, eu recomendo o máximo de pesquisa com informações atualizadas antes de viajar. Por isso, acompanhe os noticiários chilenos, fale com pessoas que moram em Santiago, entre em contato com agências de turismo e fique de olho nas redes sociais de San José del Maipo, cidade onde o Embalse el Yeso está localizado.

Agora, sobre as formas de chegar até lá:

  • Com agência: o jeito mais simples e seguro, e o que eu recomendo. Dirigir na Cordilheira não é algo que todo mundo consegue e deve fazer, por isso, deixe o trabalho para motoristas especializados. Além disso, estar com profissionais sérios ajuda na questão da segurança na represa.
  • Sozinho: como não há transporte público que faça essa rota, você pode alugar um carro e ir até o local, mas como já mencionei, não indico que façam isso. No verão pode até ser mais tranquilo, mas no inverno, além de ser mais perigoso, não é uma opção viável: apenas veículos autorizados entram no perímetro da represa.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *