Cidades Históricas,  Europa,  França,  Intercâmbio,  Intercâmbio de Férias,  Museus,  Paris,  Passeios Culturais,  Viagem Internacional,  Viajando Sozinha

Como visitar o Museu do Louvre? Horários, valores, mapas e mais!

Se você está planejando uma viagem a Paris e se perguntou “como visitar o Museu do Louvre?”, eu posso te ajudar! O Louvre é o museu mais visitado do mundo, e só em 2019 recebeu 9,6 milhões de pessoas, sabia? Todos os anos visitantes passeiam ali, dentro de mais de 70 mil metros quadrados e entre a mais de 35 mil obras expostas, e eu aposto que você quer ser o próximo a colocar os pés no Palácio do Louvre!

Leia também: Diário de Intercâmbio em Paris: Saint-Germain-des-Prés, Louvre e Eurodisney

Achou muita coisa, muita gente, muita informação? Calma, eu juro que posso te ajudar a não entrar em pânico e a descobrir como visitar o Museu do Louvre, esse lugar magnífico.

Índice

  1. Como visitar o Museu do Louvre?
    1. Antes da sua visita
    2. Durante a visita
      1. Quais são os procedimentos de segurança?
      2. Como o Museu é organizado?
      3. Cheguei no Louvre, e agora?
      4. Onde comer?
  2. Minha experiência 
  3. Links Úteis sobre Como visitar o Museu do Louvre

E agora, prontos pra começar a visita?

Como visitar o Museu do Louvre?

Então vamos lá!

Antes da sua visita

Uma série de pontos para você não comer bola!

O que é o Louvre?

Arc de Triomphe du Carrousel no Museu do Louvre

O Museu do Louvre é um dos principais museus de Paris e do mundo! Além disso, ele é literalmente o maior museu de arte da Terra, localizado no Palácio do Louvre, além de também ser o mais visitado: “apenas” 9,6 milhões de pessoas passaram por lá em 2019.

Ele foi inaugurado em 10 de agosto de 1793 com uma exposição sacra, mas pouco depois foi fechado. Enfim, em 1801, Napoleão ampliou a curadoria do Louvre e reabriu o museu, que desde então passou por uma série de mudanças, expansões e histórias. O museu é um verdadeiro marco de Paris, tanto no imaginário das pessoas quanto na história da cidade (e da França).

O que tem no Museu do Louvre?

Além da Monalisa e da Vênus de Milo, o Louvre abriga cerca de 460 mil peças de arte, sendo que apenas 35 mil delas são exibidas em oito departamentos, que serão detalhados mais pra frente:

  1. Antiguidades egípcias (com múmias roubadas do Egito)
  2. Peças da Antiguidade do Oriente Próximo (lá você pode ver o Código de Hamurabi)
  3. E também as Antiguidades gregas, etruscas e romanas (aqui está a Vênus de Milo)
  4. Arte islâmica (com muitas peças têxteis, de marfim e cerâmica)
  5. Esculturas (lá está Daniel na cova dos leões)
  6. Artes decorativas (muitos vitrais)
  7. Pinturas (aqui está a Monalisa)
  8. Impressões e desenhos (com mais de 40 mil impressões)

E bom, precisamos de um bom espaço pra abrigar tantas obras, certo?

Qual o tamanho do Museu?

O Louvre possui 72.735 metros quadrados. Enorme, né?

Onde o Louvre fica?
Átrio do Louvre, sob a Pirâmide

Que o Museu do Louvre fica em Paris você já sabe. Mas ele é especificamente o número 99 da Rue de Rivoli, no 1st arrondissement. O Palais do Louvre, palácio que abriga o museu, está na margem direita do Sena, ali do lado do Jardin des Tuileres, na frente da Pont des Arts e bem perto da Notre Dame, que sendo o marco zero de Paris, é um ótimo ponto de referência para os arredores.

Como chegar até ele?

Mapa da localização do Museu do Louvre em Paris

O metrô é a melhor opção, e tendo em vista que são quatro as entradas para o Louvre, todas elas são próximas da estação Palais-Royal – Musée du Louvre, da Linha 1 – Amarela.

  1. Pyramid: reservada para visitantes sem ingresso, com Paris Museum Pass, com cartões de membro, acesso prioritário e pessoas com deficiência.
  2. Carrousel (99 Rue de Rivoli): acesso livre.
  3. Richelieu: entrada liberada para grupos e visitantes com cartões de membros.
  4. Porte des Lions: entrada liberada contanto que você não tenha consigo bolsas grandes (explicarei melhor na parte de normas de segurança).

Leia também: O que fazer no Boulevard Haussmann e no 9ème arrondissement, além da Galeries Lafayette

Por fim, de ônibus as suas possibilidades são ainda maiores, mas digamos que as linhas 27, 95 e 39 te deixam na cara do gol.

Quando visitar?

Fachada do Palais du Louvre com parte da Pirâmide e muitos turistas

Cedo. O Museu do Louvre é enorme. São mais de 70 mil metros quadrados, e um dia só nunca é o suficiente para ver tudo. Na realidade, são necessários quatro dias para ver todas as obras. Mas independente da quantidade de dias que você reservou para viajar no tempo, chegar cedo é a melhor dica que eu tenho para te dar.

Lembrando que o Museu do Louvre abre sempre das 09h às 18h de quarta a segunda, e é fechado nas terças-feiras. Além disso, ele também fecha nos feriados de 01/01, 01/05 e 25/12.

Quanto custa o Louvre?

Como visitar o Museu do Louvre: parte interna do museu

O preço do ingresso vai depender da natureza da sua visita. Por exemplo, se você quer apenas conhecer a exposição fixa do museu, vai pagar um preço, mas se quiser alguma exposição temporária específica, pode pagar mais.

Todas as possibilidades de valores (junho de 2021) estão listadas abaixo, lembrando que o ingresso para o Louvre também dá acesso, em até 48h, ao Museu Eugène-Delacroix:

  • Entrada geral: 17 euros
  • Entrada para o Louvre e o Musée des Arts Décoratifs: 27 euros
  • Reserva de audioguia: + 5 euros
  • Tour guiado: + 9 euros
  • Ingressos para grupos (7 a 25 pessoas): 70 euros de taxa de reserva + 17 euros por pessoa

Todavia, a sua visita pode sair de graça se você:

  • For menor de idade;
  • Tiver entre 18 e 25 anos e residir na Área Econômica Europeia.
  • For professor de Artes, História da Arte e Artes Aplicadas.
  • Possuir um cartão Pass Education francês.
  • For um artista afiliado a Maison des Artistes da França ou ao AIAP.
  • For desempregado ou receber apoio governamental (abre parênteses para dizer que, provavelmente, isso só vale para a França – e você tem que comprovar a informação).
  • Possuir um cartão ICOM ou ICOMOS.
  • Ter alguma deficiência – inclusive, a pessoa que te acompanhar também não paga.
  • Visitar o museu no feriado de 14 de Julho.
  • Tiver menos de 26 anos e visitar o museu em uma sexta-feira, das 18h às 21h45.

As condições foram consultadas em junho de 2021.

Paris Museum Pass

Peça da ala de Artes Gregas, Etruscas e Romanas

Contudo, outra opção para visitar o Louvre é por meio do Paris Museum Pass. Ele é um passe que te dá acesso a mais de 50 museus e monumentos de Paris, sendo que você pode usá-lo em dois dias (52 euros), quatro dias (66 euros) ou seis dias (78 euros). Para saber se vale ou não a pena comprá-lo, é preciso considerar o seu roteiro, os lugares da lista do passe e o que de fato você quer conhecer.

Leia também: Tudo sobre a Torre Eiffel: guia prático para a sua visita

Todavia, mesmo com esse passe, você precisa reservar um horário no site do Louvre antes de aparecer para o seu passeio.

Onde comprar o ingresso do Museu do Louvre?

Carrossel do Louvre

Antes de mais nada, você é vacinado e já sabe que ingressos para atrações concorridas a gente compra com antecedência. Então, você entra nesse site e escolhe seu ingresso. Lá, vai ser necessário escolher a data da visita e também o horário que você quer iniciar sua visita, e depois é só pagar e ter certeza que uma fila você conseguiu evitar.

Como visitar o Museu do Louvre online?

Agora, durante a pandemia, o Museu começou a oferecer visitas online em seu site, e “entrar no Louvre” nunca foi tão fácil. Basta entrar no site e começar o seu passeio! São quatro opções de tours: The Advent of the Artist, Power Plays, The Body in Movement e Founding Myths: from Hercules to Darth Vader.

Durante a visita

Finalmente, como você já sabe todos os aspectos técnicos, vamos nos aprofundar mais nos detalhes da visita. Começando por um ponto delicado.

Quais são os procedimentos de segurança

Depois dos recentes atentados terroristas, a administração do museu tomou algumas providências. E é bom saber essas informações para não arrumar problemas desnecessários.

  • Não é recomendado levar bolsas e mochilas para o museu;
  • Mas se você precisar de uma, as medidas desta não podem exceder as medidas de 55 cm x 35 cm x 20 cm.
  • Além disso, há pequenos armários disponíveis no museu pra deixar suas coisas – por favor não coloque itens de valor lá.

É bom memorizar os pontos para não passar perrengues.

Como o Museu é organizado?

Pinturas no Museu do Louvre

Tendo em vista que são 35 mil obras expostas, essa é uma pergunta essencial para qualquer visitante do museu. Falando de níveis, ele é dividido em cinco: nível -2, nível -1, nível 0, nível 1 e nível 2. E além dos níveis, a principal forma de se orientar dentro do palácio é saber as suas alas e como funciona a logística de cada uma delas.

  • Richelieu
  • Sully
  • Denon

 

Mapa do Museu do Louvre

As exposições fixas, entretanto, não estão organizadas metodicamente dentro de cada ala. Algumas estão em duas alas distintas, e pra isso nós temos uma lista que mostra isso bonitinho.

  • Antiguidades do Oriente Próximo: Nível 0 nas Alas Richelieu e Sully.
  • Antiguidades Egípcias: Níveis 0 e 1 na Ala Sully.
  • As antiguidades Gregas: Estão nos Níveis -1, 0 e 1 nas Alas Denon e Sully.
  • Antiguidades Romanas: Níveis 0 e 1 nas Alas Denon e Sully.
  • Peças da Antiguidade Etrusca e da Península Itálica: Nível 0 na Ala Denon.
  • Arte do Oriente Próximo e Egito: Agora nos Níveis -2 e -1 na Ala Denon.
  • Arte Islâmica: Níveis -2 e -1 na Ala Denon.
  • Esculturas/França: Níveis -1 e 0 na Ala Richelieu.
  • Esculturas/Europa: Níveis -1 e 0 na Ala Denon.
  • Pinturas/França: Nível 1 na Ala Denon e Nível 2 na Ala Richelieu.
  • Pinturas/Europa do Norte: Nível 2 na Ala Richelieu.
  • Pinturas/Itália: Nível 1 na Ala Denon.
  • Pinturas/Espanha: Nível 1 na Ala Denon.
  • Pinturas/Grã-Bretanha e Estados Unidos: Nível 1 na Ala Denon.
  • Artes Decorativas/Europa: Nível 1 nas Alas Sully, Denon e Richelieu.
  • Desenhos, gravuras e estampas/Europa: Nível 1 na Ala Sully {exposição nova, inaugurada em outubro!}.
  • Artes de África, Ásia, Oceania e América: Nível 0 na Ala Denon.

Complexo? Sim. Difícil de se localizar? Nem tanto. Esse guia, disponível no site do Louvre, esmiúça cada pedaço do museu, deixando a visita bem intuitiva.

Cheguei no Louvre, e agora?

Você provavelmente vai ter que enfrentar alguma fila, mas não entre em desespero. E muito menos fique estressado. Você está dentro de um palácio do século XVI, prestes a ver, ao vivo e a cores, obras de arte que você ouviu falar desde que era uma criança. Você tem motivos de sobra para apreciar a arquitetura, criar expectativa e quem sabe até tirar umas fotos legais.

A fila andou? Então chegou a hora de passar pelo raio-x. Quando eu fui, em 2013, não era nada tão elaborado como nos aeroportos, mas com a questão do terrorismo, acredito que a segurança tenha se intensificado. Passado isso, você está no hall do museu.

Teto do Museu do Louvre

É ali que a sua visita começa. Com um balcão de informações bem no centro, pegue um mapa e é hora de colocar em prática toda a pesquisa que você fez. E de preferência, todo o roteiro que você montou. Ao seu redor várias escadas rolantes são o acesso às alas do Louvre, é só seguir as placas indicativas e fingir que os degraus são uma espécie de máquina do tempo.

Na entrada de cada ala você precisa mostrar o seu ingresso para o fiscal que fica bem no final da escada rolante. E depois disso, é só ser feliz entre as salas e corredores da ala escolhida.

Onde comer?

Tendo em vista que as visitas ao Louvre costumam ser longas, é sempre bom ter opções de alimentação por perto, né? E a ótima notícia é que o museu conta com várias opções de restaurantes em seu complexo! Lembrando que é proibido comer nas dependências do Museu, então todos os locais aqui listados ficam longe das obras de arte.

  1. Bistrot Benoit ($$$): opção mais carinha para uma refeição completa ou apenas para pegar um croissat. Fica no átrio do Museu.
  2. Starbucks ($): o bom e velho e padrão Starbucks, né? Quem nunca foi salvo por ele? Localizado no andar -1, no Mezanino Richelieu (sob a pirâmide).
  3. Goguette ($$): opções rápidas num espaço descontraído e preços bons. Fica no mesmo espaço que o Starbucks.
  4. Paul ($): nada mais nada menos do que uma padaria! Preciso dizer mais alguma coisa? Ela fica no andar -2.
  5. Denon & Richelieu Takeaway Counters ($): é aquela lanchonete simples, self-service, que lembra nossa queria franquia Frango Assado. Querem uma história besta mas que me marcou? Quando morei em Paris, em 2013, estava rolando aquela febre das garrafas/latas de Coca Cola com os nomes das pessoas. No Brasil não existia Coca com “Camille”, mas em Paris eu achei! Lá no Denon. Ah, ele fica no andar -1, no Mezanino Denon.
  6. Le Café Mollien ($$): se você quer um café mais arrumadinho, mas ainda assim acessível, ele está no primeiro andar, na ala Denon.
  7. Angelina/Café Richelieu ($$$): o famoso Café Angelina tem uma unidade no Louvre, com vista para a Pirâmide! E você pode pedir seu chocolate quente no primeiro andar, na ala Richelieu.
  8. Café Marly ($$$$): também com vista para a Pirâmide, o caro Café Marly fica no número 93 da Rue de Rivoli e serve refeições completas e mais sofisticadas e drinks.
  9. Terrasse Colbert ($): um lugar a céu aberto pra aproveitar a vista e comer alguma coisinha simples. Também fica no primeiro andar e na ala Richelieu – e pode ser acessado via Angelina.
  10. Café des Marronniers ($$$): um pouquinho mais afastado, ele está localizado no Jardin des Tulieres, perto da estação Concorde do metrô. Ele serve café da manhã, almoço e “beliscos” ao longo do dia.
  11. Terrasse de Pomone ($$): também no Jardin des Tulieres, serve um menu com muita personalidade, produtos frescos e orgânicos.
  12. Pavillon des Tuileries ($$$): quase um oásis em Paris, também oferece petiscos e opções de lanches.
  13. Rosa Bonheur Crêperie ($): crepes, sanduíches, saladas e cidra, tudo isso a valores acessíveis no Jardin des Tulieres.

E pra quem ficou curioso, aqui está a garrafa com o meu nome! Que é francês e beeem comum em Paris, tanto para homens quanto para mulheres.

Minha experiência

Pátio do Museu

Sendo bem sincera eu não me lembro como me orientei, mas lembro de visitar primeiro a Monalisa, (no nível 1, Ala Denon e sala 06). Depois foi a vez da Madona das Rochas (nível 1, também na Denon e sala 05). A Liberdade Guiando o Povo (nível 1, sessão Denon e sala 77). A Vênus de Milo (nível 0, dessa vez na Ala Sully e sala 16). E enfim a parte de Antiguidades Orientais – com destaque para o Código de Hamurabi (nível 0, Sully e sala 03).

E também o departamento de de Antiguidades Egípcias, além de andar por vários outras partes, mas devido ao meu tempo limitado. Em apenas uma tarde, não deu para parar e observar cada obra que eu queria.

Inclusive, você visitar a Monalisa em julho, essa vai ser a sua primeira impressão da moça. Mas relaxem, dá pra superar a multidão e chegar mais perto.

Sala da Monalisa

Independente da sua disponibilidade e do que você quer ver, não deixe o Museu do Louvre de lado, por favor! Se você ainda não se apaixonou por arte, história e arquitetura, eu te garanto que todas as suas opiniões vão ficar para trás quando você colocar os pés no palácio.

Finalizando, queria lembrar que todas as informações desse post foram retiradas do site oficial do Museu do Louvre e de acordo com a minha própria experiência. Os valores e horários correspondem ao período de junho de 2021, podendo variar com o tempo.

Links úteis sobre Como chegar no Museu do Louvre

Site oficial do Museu

Prefeitura de Paris

Metrô de Paris

Planejando sua viagem: descontos!

Seguro viagem: 5% de desconto na Seguros Promo com o meu link

Airbnb: até R$ 350 de desconto em hospedagens e experiências (válido para o primeiro cadastro)

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *