Cidades Históricas,  Europa,  França,  Lojas,  Museus,  Paris,  Passeios Culturais,  Roteiros,  Viagem Internacional

O que fazer no Boulevard Haussmann e no 9ème arrondissement, além da Galeries Lafayette

A região do Boulevard Haussmann é muito conhecida pelas ruas luxuosas e, é claro, pela Galeries Lafayette. Mas o bairro tem muito mais a oferecer – e pode ser um ótimo passeio para sua viagem a Paris. Quer saber mais? Continue lendo para descobrir mais sobre o bairro!

Neste post você vai encontrar: localização do Boulevard Haussmann e como chegar, história da região, principais pontos turísticos e links úteis

Onde fica e como chegar

Fachada da Opera Garnier

O Boulevard Haussmann está localizado no 9ème arrondissement de Paris, na margem direita do Sena – a Rive Droite. Ele começa pertinho do Arco do Triunfo e continua por dois quilômetros sentido leste da cidade, passando por uma série de pontos até terminar na altura do Museu Grévin.

Leia também: Diário de Intercâmbio em Paris: residência estudantil, aulas, Ópera Garnier e Galeries Lafayette

Para chegar até lá, basta pegar a Linha 9 do metrô e descer entre as estações Saint-Augustin e Richelieu-Drouot. Contudo, para ficar mais próximo dos pontos turísticos que vou citar aqui, recomendo as estações Havre-Caumartin e Chaussée d’Antin – La Fayette. Lembrando que algumas estações também fazem parte da malha metroviária de outras linhas.

Ao sair da estação, há grandes chances da sua primeira impressão ser algo como “uau, que lugar chique”. E ele é mesmo. Afinal, a região é uma das mais elegantes de Paris e abriga uma série de lojas de departamento e outros centros comerciais, além de ter sido projetada para causar esse efeito.

História do Boulevard Haussmann

Isso porque o Boulevard é um dos grandes ícones da transformação pela qual Paris passou no XIX. Sob a prefeitura de Georges-Eugène Haussmann, boa parte do centro medieval de Paris foi a baixo. Em seu lugar, o prefeito colocou em prática um projeto urbanístico gigante, que até hoje é muito debatido e, principalmente, criticado.

Atenção: se você não gosta de história, arquitetura e urbanismo, pode pular esse tópico, mas eu recomendo ficar! Entender um pouco mais sobre as origens de todas as grandes avenidas de Paris vai te fazer olhar para a cidade com outros olhos, eu garanto.

Blame on you, Napoleão III

Enfim, voltando à história, Haussmann foi o responsável por colocar os planos em prática, mas não foi ele quem teve a primeira ideia dessa nova Paris. Até então, a cidade era um tanto quanto caótica: o centro era povoado por ruas bem estreitas, casas grudadas e sistema de esgoto insalubre. E foi nessa Paris que Napoleão III desembarcou em 1848. Com uma cabeça cheia de novas ideias para a localidade.

O objetivo principal era fazer de Paris uma segunda Roma. Ele queria uma capital que inspirasse glória e vitórias, mas seus planos foram por água abaixo quando as Revoluções de 1848 tomaram conta de vários países europeus – começando pela França. Resumindo, Napoleão III foi eleito presidente naquele ano, e em 1952 deu um golpe para permanecer no poder. Sim, ele reinstaurou a monarquia. Podem imaginar a cara dos franceses depois de todo o rolê que foi a Revolução Francesa.

Região do Boulevard Haussmann, com a Galeries Lafayette ao fundo

De Roma até Londres, passando por revoluções e pela cólera

Napoleão III continou inspirado pelos romanos, mas em 1952 ele tinha mais dois motivos para reformar Paris. Primeiro: ele ficou traumatizado pelas barricadas. Elas se multiplaram pelas relas parisienses durante a Revolução e outros motins lá pra 1951, quando a população se indignou com os planos de manutenção. Isso porque as ruas estreitas de Paris – lembram delas? favorecem esse tipo de estratégia de revolta, e dificultam a atuação repressiva. E é óbvio que o imperador ia fazer de tudo para tentar evitar novos levantes populares.

Além disso, o outro motivo era sanitário. Uma nova onda de cólera começava a atingir a cidade durante o período, e sua topografia contribuía para uma maior disseminação da doença. Foi aí que o imperador se inspirou nas políticas de contenção de epidemias de Londres e delegou ao barão de Haussmann a tarefa de transformar Paris. E para isso, ele começou destruindo-a.

120 mil habitações foram demolidas. Seus moradores foram desapropriados. As obras demoraram 20 anos para serem concluídas. E permanecem controversas até os dias atuais.

O resultado do plano de Haussmann

A verdade é que a Paris de hoje só existe por causa da remodelação de Haussmann. As grandes avenidas e prédios característicos foram concebidos pelo seu plano. E a herança de sua administração não parou por aí. Uma série de cidades se inspirou no plano Haussmann para reformar seus centros. E o Rio de Janeiro foi uma delas.

Pereira Passos, engenheiro convidado pelo então presidente Rodrigues Alves, foi o responsável por transformar o centro do Rio. No começo do século XX, a região muito lembrava a Paris pré-Haussmann, com ruas estreitas e abarrotadas e úmidas e insalubres. Depois da grande reforma, surgiram os grandes prédios, largas avenidas, sistemas de esgoto, iluminação pública, entre outros. As custas do que?

Isso mesmo, da marginalização e expulsão da população que antes residia por ali. As pessoas foram forçadas a se mudar, e esse movimento foi um dos grandes responsáveis por acelerar o processo de crescimento das favelas nos morros do Rio de Janeiro. Se você quer saber mais sobre esse processo, eu recomendo a novela Lado a Lado. Ela é, sem sombra de dúvidas, a melhor novela que eu já assisti – inclusive, ela ganhou uma série de prêmios, incluindo o Emmy Internacional de Melhor Telenovela.

E onde você quer chegar com isso, Camille?

Todo esse texto tem como objetivo te contextualizar sobre a região do Boulevard Haussmann, em Paris, e também te fazer refletir sobre as cidades do mundo. Sim, eu amo muito arquitetura e urbanismo, estudar sobre gentrificação e analisar as dinâmicas de grandes centros. E sempre tento carregar esse olhar comigo quando viajo por aí.

Porque as lindas e elegantes regiões turísticas das cidades não surgem do nada. Elas raramente são um mero acaso. Há sempre um projeto, ideia, grandes reformas e estratégia ali. Muitas vezes, o turismo sequer era um objetivo. Mas ele se torna. E o que se esconde sob o asfalto? No caso do Rio e de Paris, temos centenas (e até milhares) de pessoas colocadas a sua própria sorte pelo governo.

Região do Boulevard Haussmann

Eu não quero ser anacrônica, por favor não me entenda mal. Sei que falar de dinâmicas urbanas, desigualdades sociais e papel social do governo alguns séculos atrás não era a mesma coisa que hoje em dia. Mas os anos se passaram, né? Em 2020 a gente tem essa consciência. Então, o mínimo que podemos fazer é contextualizar nossas viagens. Pensar nos lugares que visitamos. E sempre lembrar que cidades não são museus a céu aberto. Elas são a casa de muita gente. 

O que fazer

Agora que você já está equipado com todas as informações históricas da região, vamos à lista de coisas para fazer pelo 9ème arrondissement. Separei as atrações em compras, museus, teatros e cinemas, passagens, restaurantes igrejas e outros locais religiosos. Lembrando que todos os lugares sempre ficam salvos no mapa abaixo.

1. Compras

A região do Boulevard Haussmann é tradicionalmente conhecida por ser um local de compras. E isso se deve à Galeries Lafayette. Contudo, outras lojas de departamento surgiram nos arredores, assim como outras lojas de rua, que muitas vezes possuem ótimos preços!

Galeries Lafayette

A mais famosa loja de departamentos de Paris. Sim, é um grande clichê. Mas ainda vale a pena! Primeiro, porque o prédio da Galeries é maravilhoso. Todo em Art Noveau e inaugurado em 1912, ele tem uma cúpula que chega a ser estúpida de tão linda, e só ela já faz o passeio ser incrível.

Mas a Galeries Lafayette ainda tem mais uma atração. O seu terraço! Localizado no décimo andar, ele tem uma vista privilegiada para toda Paris. Dali você consegue ver a Torre e a Sacre Coeur, para dar apenas alguns exemplos, além de ficar do ladinho da Opera Garnier.

Contudo, se você estiver focado em fazer compras, também não vai se decepcionar. Os nove andares da loja estão lotados das mais diversas marcas. De roupas a maquiagem. De jóias a souvenirs. E não se engane: nem só de marcas de luxo é feita a Galeries Lafayette. Muitas opções mais acessíveis podem ser encontradas por lá, principalmente nos últimos andares.

Localização: 40 Boulevard Haussmann, Paris
Mais informações: site da Galeries Lafayette

Printemps Haussmann

A Printemps é uma rede francesa de lojas de departamento, e uma de suas unidades fica a poucos passos da Galeries Lafayette. E elas são bem parecidas, em tudo! Possuem uma arquitetura maravilhosa, lojas de roupas e terraço com vista para a cidade.

Localização: 64Boulevard Haussmann, Paris
Mais informações: site da Printemps Haussmann

MONOPRIX

A Monoprix, que pertence ao mesmo grupo da Galeries Lafayette, não é exatamente um ponto turístico. A loja é um grande supermercado, com andares e andares preenchidos por tudo o que você quiser comprar. Gosto bastante dele para comprar produtos de higiene pessoal, sabem? Um shampoo que acabou, um sabonete que não tem no hotel… Os preços são ótimos para isso!

Localização: 47 Rue Joubert, Paris
Mais informações: site da Monoprix

2. Museus

Poucas pessoas associam essa região com museus, mas eles estão ali também! Eu conheci o Musée du Parfum, mas ele não é o único, tá? Aqui vai uma lista de museus que valem a visita.

Musée du Parfum Fragonard

Musée du Parfum na região do Boulevard Haussmann

Este museu tem como objetivo contar a história dos perfumes no mundo. Localizado em um prédio lindo, as salas temáticas são muito bem decoradas e interativas, o que faz da visita ainda mais interessante.

Além disso, as visitas são guiadas, o que faz o passeio ainda mais legal e educativo.

Localização: 9 Rue Scribe, Paris
Funcionamento: De segunda a sábado, das 10h às 19h.
Entrada gratuita
Mais informações:
site do Museu

Musée Grévin

O Musée Grévin nada mais é do que o museu de cera de Paris! Ele é super interativo e amado pelas crianças, contando com estátuas de personalidades como Barack Obama e Edith Piaf. Ah, o complexo Grévin também possui um café e um teatro.

Localização: 10 Boulevard Montmartre, Paris
Funcionamento
: De segunda a sexta, das 10h às 18h, e aos sábados e domingos, das 09h30 às 19h
Ingressos: de 16 a 24,50 euros
Mais informações: site do Museu

Musée National Gustave Moreau

Este museu de arte é dedicado ao pintor do simbolismo Gustave Moreau. Ele está localizado na antiga casa do artista, que viveu entre 1826 e 1898 e foi um dos principais nomes da escola na França. Atualmente, o museu exibe algumas de suas obras e aquarelas, além de ser uma viagem no tempo para a época em que Moreau vivia ali.

Localização: 14, rue de La Rochefoucauld, Paris
Funcionamento: De quarta a segunda, das 10h às 18h
Ingressos:
De 5 a 7 euros
Mais informações:
site do Museu

3. Teatros e cinemas

A Opera Garnier é o símbolo do quarteirão mais famoso da região, mas vários outros teatros podem ser encontrados nas proximidades! Além disso, cinemas clássicos também dividem as ruas com os teatros, sabiam?

Opera Garnier

Talvez você conheça a Opera Garnier do Fantásma da Ópera. Ou tenha alguma lembrança do Palais Garnier como “o teatro mais lindo de Paris”. A verdade é que ele é tão maravilhoso quanto poderia ser. Sua fachada e seu interior! O prédio neobarroco pode ser visitado, inclusive, seja em uma visita guiada ou para de fato assistir a um espetáculo.

Endereço: Place de l’Opéra, Paris
Funcionamento: para espetáculos, a depender da programação. Para visitas, todos os dias das 10h às 15h30.
Ingressos: para espetáculos, a depender da programação. Para visitas, de 10 a 14 euros. DICA EXTRA: ao comprar um ingresso para o Museu Gustave Moreau, que eu citei ali em cima, você pode visitar a Opera Garnier gratuitamente em até oito dias!
Mais informações: site da Opera

Théâtre des Mathurins

Fundado em 1897, exibe peças de teatro em duas salas. Costuma colocar peças infantis em cartaz, mas também aposta em formatos para adultos.

Endereço: 36 rue des Mathurins, Paris
Funcionamento: a depender dos horários das peças. Bilheteria abre às 14h em dias de espetáculos.
Ingressos: em média de 15 a 40 euros, a depender do espetáculo desejado.
Mais informações: site do Teatro

Théâtre Mogador

Teatro histórico focado em grandes espetáculos musicais, como O Rei Leão.

Endereço: 25, rue de Mogador, Paris
Funcionamento: a depender dos horários das peças.
Ingressos: a partir de 24 euros, a depender do espetáculo desejado.
Mais informações: site do Teatro

Théâtre national de l’Opéra-Comique

Aberta em 1714 e também conhecida como Salle Favart, ela ainda recebe espetáculos!

Endereço: 1 Place Boieldieu, Paris
Funcionamento: a depender dos horários das peças.
Ingressos: a depender do espetáculo desejado.
Mais informações: site do Teatro

Pathé Opéra Premier

Se você quer a experiência de conhecer um cinema de rua em Paris, o Pathé Opéra Premier pode ser uma boa opção!

Endereço: 32 Rue Louis le Grand, Paris
Funcionamento: a depender dos filmes em cartaz.
Ingressos: a depender dos filmes em cartaz.
Mais informações: site do cinema

4. Passagens

As passagens cobertas podem ser consideradas os ancestrais dos shoppings. Elas são ruas cobertas com várias lojinhas para compras, que eram extremamente comuns no começo do século XIX. Contudo, a reforma do Haussmann (olha lá ele de novo) acabou com a grande maioria desses espaços parisienses. Na época, cerca de 150 passagens eram conhecidas na cidade. Hoje, nós podemos conhecer apenas as dez que restaram.

Algumas das famosas passagens de Paris ficam próximas do Boulevard Haussmann! A Passage Vivienne, a mais conhecida de todas, está um pouquinho mais pra baixo, perto do Louvre. Mas eu descobri outras três que você pode incluir no roteiro do 9ème arrondissement.

Passage Jouffroy

Construída em 1836, ela é uma das passagens mais visitadas de Paris. O teto de vidro chama a atenção, assim como suas lojas gracinha.

Endereço: 10-12 Boulevard Montmartre, Paris
Funcionamento: todos os dias, das 07h às 21h30
Mais informações

Passage des Panoramas

A mãe das passagens é ela mesma, a Passage des Panoramas! Construída em 1799, ela ainda mantém os ares antigos e um chão que você já deve ter visto em fotos por aí.

Endereço: 11 Boulevard Montmartre, Paris
Funcionamento: todos os dias, das 06h à meia noite
Mais informações

Passage des Princes

Um pouco mais espaçosa e chique do que as outas, a Passage des Princes foi destruída em 1985 e reconstruída dez anos depois, com todos os esforços para ficar do mesmo jeito que a original.

Endereço: 5 Boulevard des Italiens, Paris
Funcionamento: de segunda a sábado, das 08h às 20h
Mais informações

5. Restaurantes, cafés e outros lugares para comer

Enfim, uma seleção de vários cafés e restaurantes, de todas as faixas de preço possíveis e incluindo opções veganas!

Comme à Lisbonne

Uma das lojas dessa franquia de doces portugueses fica bem nessa região! Eles são especializados em pastéis de nata.

Endereço: 20 Rue de Mogador, Paris
Faixa de preço: $$
Mais informações

Braun Notes

Café bem gracinha e alternativo, com muitas opções para quem ama cafeína e pratos voltados para café da manhã e brunch.

Endereço: 31-33 Rue de Mogador, Paris
Faixa de preço: $$
Mais informações

SOFA Café

Café e restaurante de gastronomia francesa.

Endereço: 4-6 Rue la Fayette, Paris
Faixa de preço: $$
Mais informações

Le Colonel Moutarde

Bar-restaurante com um pouco de tudo: petiscos, hambúrguer, batata frita, pratos típicos, mais elaborados e sobremesas.

Endereço: 85 Boulevard Haussmann, Paris
Faixa de preço: $$$
Mais informações

Doriimu

Casa de chás especializada em bubble tea! Classificada como a melhor de Paris pelo TripAdvisor.

Endereço:10 Rue de la Chaussée d’Antin, Paris
Faixa de preço: $$
Mais informações

New Balal

Restaurante de culinária indiana e paquistanesa, com uma série de opções vegetarianas e veganas. Mais refinado que as outras opções dessa lista.

Endereço: 25 Rue Taitbout, Paris
Faixa de preço: $$$
Mais informações

Herb-Tea

Casa de chás taiwanesa, também especializada em bubble tea.

Endereço: 36 Rue Laffitte, Paris
Faixa de preço: $
Mais informações

IBRIK

Restaurante de gastronomia dos Bálcãs com muitas opções vegetarianas para café, brunch e almoço.

Endereço: 43 Rue Laffitte, Paris
Faixa de preço: $$
Mais informações

231 East Street Saint Lazare

Rede de fast food com foco em hambúrguer.

Endereço: 2 Rue de la Pépinière, Paris
Faixa de preço: $$
Mais informações

Più Più

Fast food italiano super fofo e com opções vegetarianas.

Endereço: 36 Rue Godot de Mauroy, Paris
Faixa de preço: $$$
Mais informações

6. Igrejas e outros locais religiosos

Quem mais adora visitar uma igreja? E a boa notícia é que você pode encontrar várias na região do Boulevard Haussmann!

Grand Synagogue de Paris

Inaugurada em 1874, é o grande centro da comunidade judia de Paris. Localizada em um prédio lindo, ela pode ser visitada em tour guiados.

Localização: 44 Rue de la Victoire, Paris
Funcionamento
: para tour guiados, de segunda a quinta, das 09h ao meio dia. É necessário agendar pelo e-mail info@lavictoire.org
Ingressos: a depender do tour, pode chegar a até 60 euros por grupo.
Mais informações: site da sinagoga

Chapelle Expiatoire

A capela neoclássica, que é uma gracinha, é muito famosa por ter sido construída sobre o antigo Cemitério da Madeleine, local onde o Rei Luís XVI e a Rainha Maria Antonieta foram enterrados em 1793.

Ah, ela fica meio escondida, viu? Mas não desista, a visita vale a pena!

Localização: 29 Rue Pasquier, Paris
Funcionamento
: de quarta a sábado, das 10h às 12h30 e das 13h30 às 17h
Ingressos: 6 euros para visitas livres e 5 euros para visitas em grupo. DICA EXTRA: o Passe Maria Antonieta custa 26 euros e te dá acesso à Basilique cathédrale de Saint-Denis, Chapelle expiatoire, Conciergerie e Château de Rambouillet.
Mais informações: site da capela

Église St Louis d’Antin

Igreja neoclássica de 1783, bem próxima do Boulevard Haussmann na altura da Galeries Lafayette.

Localização:63 Rue de Caumartin, Paris
Funcionamento
: a depender dos horários das missas
Entrada gratuita
Mais informações: site da igreja

Église Saint-Augustin

Inaugurada em 1871, essa igreja mistura os estilos romano e bizantino em uma construção incrível.

Localização: 8 Avenue César Caire, Paris
Funcionamento
: aberta todos os dias. De segunda a sexta, das 08h30 Às 19h. Aos sábados, das 09h às 12h30 e das 14h30 às 19h30. Aos domingos, das 08h30 às 12h30 e das 16h30 às 20h.
Entrada gratuita
Mais informações: site da igreja

Notre-Dame de Lorette

A impressionante igreja do neoclássico foi inaugurada em 1836, mas até hoje deixa todos que passam na sua frente de boca aberta.

Localização: 18bis rue de Chateaudun, Paris
Funcionamento
: aberta todos os dias. De segunda a sábado, das 10h Às 19h30. Aos domingos, das 09h30 às 19h30.
Entrada gratuita
Mais informações: site da igreja

L’église de la Madeleine

Se você não conhecia nenhuma igreja dessa lista, com certeza conhece a Madeleine! Ela não fica exatamente na região do Boulevard Haussmann, mas como uma pequena caminhada resolvem esse problema, decidi inclui-la aqui. A Madeleine se parece com um templo grego, começou a ser construída em 1764 e guarda uma série de obras de arte notáveis.

Localização: Place de la Madeleine, Paris
Funcionamento
: aberta todos os dias, das 09h30 às 19h.
Entrada gratuita
Mais informações: site da igreja

Eglise de la Sainte Trinité

A igreja católica se destaca pelos vitrais, que chamam a atenção de todos que entram em seu prédio.

Localização: Place d’Estienne d’Orves, Paris
Funcionamento
: aberta todos os dias. De segunda a sexta, das 07h15 às 20h. Aos sábados, das 10h Às 20h. E aos domingos, das 09h às 20h30.
Entrada gratuita
Mais informações: site da igreja

Boulevard Haussmann – Links Úteis

Mapa do metrô de Paris

Planejando a sua viagem: descontos!

Seguro viagem: 5% de desconto na Seguros Promo com o meu link

Airbnb: até R$ 350 de desconto em hospedagens e experiências (válido para o primeiro cadastro)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *