América do Sul,  Brasil,  Cruzeiro,  Ilhabela,  Passeio de Escuna,  São Paulo,  São Sebastião,  Sudeste

O que fazer em um dia em Ilhabela | Cruzeiro MSC Armonia

Com Ilhabela de lado, minha maior expectativa para o cruzeiro era chegar em Cabo Frio para ir até Arraial do Cabo. Mas devido a condições meteorológicas desfavoráveis, o navio desviou a rota para Búzios, só conseguimos desembarcar após o meio dia e isso acabou com meus planos de conhecer Arraial.

E o que eu fiz durante todo o tempo antes de embarcar, enquanto pesquisava sobre a vida em cruzeiros e os destinos? Eu foquei em Arraial e me esqueci de Ilhabela. Afinal, ela fica aqui do lado, é parte de São Sebastião e, em qualquer fim de semana, eu poderia descer para lá

E a vida é engraçada e adora jogar as coisas na nossa cara.

Como eu já falei no post de Búzios, lá estava nublado e chovendo. Aí chegamos em Ilhabela. Com um céu azul, Sol maravilhoso e um dos mares mais lindos que eu já vi. Quem sabe é para ver se a gente aprende a não superestimar algo em detrimento de outras coisas, né?

Mas vamos ao que interessa.

Chegada em Ilhabela

Pegamos, novamente, a primeira lancha para a cidade. Por volta das 10h, desembarcamos no Píer da Vila. A princípio, não tínhamos a menor ideia do que fazer, então seguimos o fluxo. Passamos pela Rua do Meio, que é fofíssima, e continuamos pela direita.

Passamos pela Igreja de Nossa Senhora D’Ajuda e pelo antigo Fórum e Cadeia. Então voltamos para a orla para ficarmos com aquela sensação agridoce na garganta. Revolta. Por nunca termos visitado a cidade antes. Estupefação. Porque aquele lugar é incrível.

Continuamos até a Praia do Saco da Capela e resolvemos voltar para a Vila. Afinal, ainda não sabíamos o que fazer — percebemos que seria difícil a locomoção a pé e não tínhamos noção alguma de como o transporte público funcionava, mas já deixo aqui a dica: os ônibus da cidade são super fofos e passam por diversas praias! É só se informar direitinho que é completamente possível andar por lá por meio dos ônibus.

Voltamos, então, rumo à Rua do Meio. Em busca de agências de turismo, já que decidimos que um passeio de escuna seria a melhor opção para quem não sabia se locomover na Ilha, só tinha um dia lá e hora marcada para voltar ao navio. Já falei de passeios de escuna, e caso alguém tenha alguma dúvida, explico tudo bonitinho por lá. E não, não há muita diferença entre as cidades, pelo que pude perceber.

Fechamos, enfim, com a Webtur, que vende diversas opções de trajetos logo na saída do Píer. Optamos por um passeio de escuna de aproximadamente cinco horas com duas paradas: na Praia da Fome e na Praia do Jabaquara. Isso por 80 reais por pessoa — eles aceitam pagamento em cartão, com água e frutas disponíveis na escuna Linda Morena.

Praia da Fome

A navegação até a Praia da Fome, primeira parada, foi bem tranquila, com a guia explicando todo o caminho entre as praias e um visual incrível entre as casas construídas nas encostas e o oceano.

Enfim, chegamos à Praia da Fome. A escuna conta com um bote para levar as pessoas até a praia — uma preocupação minha, visto que nem todas oferecem esse serviço e eu não colocaria de maneira alguma a minha câmera em risco. Então, o desembarque foi tranquilo.

Relativamente pequena e, para os meus padrões, lotada, ostenta águas de um azul incrível, pedras que são o meu item necessário para uma praia bonita e muitos borrachudos. Borrachudos são uma espécie de mosca e podem se tornar um pesadelo a parte.

No meu caso, eu passei muito repelente antes mesmo de descer do navio e, inclusive, antes de chegar às praias. Não senti nenhuma picada e nem mesmo vi marcas na minha pele, então, fiquei tranquila. Diferentemente da minha mãe e minha irmã, que logo foram picadas e compraram um repelente de citronela feito pelos moradores de Ilhabela, o que as protegeu enquanto eu fiquei dopada de antialérgicos e tão inchada quanto poderia estar.

Meu conselho? Já saiam da cidade de vocês com um repelente de citronela na bolsa, e passem sempre que possível. Se mesmo assim perceberem picadas, comprem logo o repelente que eles vendem por lá. Ele é oleoso e não muito confortável, mas eu juro que compensa depois.

Quanto a estrutura da praia, ela conta com um quiosque que administra as mesas e guarda-sóis e cobra consumo mínimo de 100 reais para a permanência. Obviamente, estendemos nossas cangas na areia e por lá ficamos a tomar sol e ler um livro, porque sinceramente, não pagamos o pacote mais barato do cruzeiro e economizamos até nos souvenires para pagar 100 reais em algo que nem mesmo queríamos no momento.

Ficamos cerca de 40 minutos ali, e em suma, a praia é maravilhosa e me deixou morrendo de vontade de voltar. Quem sabe em um próximo feriado?

Praia do Jabaquara

Próxima parada: Praia do Jabaquara. Mais famosa, maior e com melhor estrutura que a da Fome, nela ficamos cerca de uma hora e meia.

Se eu não me engano, contei três quiosques, e o mais legal: não há consumo mínimo para ocupar as mesas. Como já se passava das 15h, pedimos uma porção de peixe frito por 45 reais e, dessa vez, mal tirei fotos, só queria ficar quieta na mesa, comendo e lendo o meu livro.

Uma das coisas mais legais da praia é a piscina natural, além do aluguel de equipamentos para esportes aquáticos. Dá para alugar equipamento de snorkel, caiaque, stand up e alguns outros. Como as águas são bem tranquilas, é uma boa opção para quem gosta ou quer se aventurar.

Na hora de voltar, aproveitamos que a escuna para no próprio Píer da Vila e, em menos de um minuto, já estávamos dentro da lancha do navio. Às 17h estávamos de volta ao navio.

Dicas úteis sobre Ilhabela

    • Levem repelente de citronela, mas não deixem de cogitar comprar o que é vendido por lá mesmo — não aqueles de farmácia.
    • Como disse no post de Búzios, sempre tenha um mapa em mãos.
    • Antes de chegar à Ilha, pesquise sobre o transporte público para o acesso às praias, acredito que valha muito a pena.
    • Não deixe de conhecer o centrinho, conhecido como Vila, que é uma gracinha e vai te deixar encantado.
    • Apesar de gostar do passeio de escuna, achei o preço um tanto quanto salgado. Pagamos a mesma coisa em Paraty para uma escuna com melhor infra, almoço incluído e mais paradas. Mas também é preciso considerar que isso foi em 2012. Enfim, recomendo uma pesquisa.

Links úteis sobre Ilhabela

Prefeitura de Ilhabela

Webtur

Mais fotos desta viagem? Tem lá no meu Flickr!

2 Comentários

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *