América do Sul,  Chile,  Santiago,  Transporte público

Transportes em Santiago: como andar de metrô, ônibus, sair do aeroporto e mais!

Algumas dúvidas super comuns sobre os transportes em Santiago são “como é o metrô? E como andar de ônibus? Tem Uber? Dá pra conhecer tudo andando?” E pensando nisso, escrevi o post de hoje, tendo em vista que os meios de transporte são questões centrais em qualquer viagem.

Vou tirar todas as suas dúvidas sobre a locomoção de turistas em Santiago, e dando um spoiler, queria dizer que ela é bem simples e descomplicada!

Leia também: Cinco dias em Santiago: como montar o seu roteiro (incluindo passeios a cidades próximas!)

Índice

Tudo sobre transportes de Santiago

  1. Como montar os itinerários? Aplicativo Red e site do metrô
  2. Como é o metrô de Santiago?
  3. Como andar de ônibus em Santiago?
  4. Como conhecer Santiago caminhando?
  5. Uber funciona na cidade?
  6. Os táxis são uma boa opção?
  7. Vale a pena alugar um carro?
  8. Dá pra andar de bicicleta?
  9. E o ônibus de turismo?
  10. Como fazer os passeios para outras cidades?
  11. Como sair e chegar até o aeroporto?
    1. Ônibus
    2. Transfer
    3. Táxis oficiais
    4. Aluguel de carros
    5. Uber

Então vamos lá!

Tudo sobre transportes em Santiago, capital do Chile

As principais opções de transportes em Santiago e seus arredores são:

    1. Metrô: cobre as principais áreas turísticas da cidade.
    2. Ônibus: funciona em todos os cantos.
    3. Transfer: vai te ajudar na hora do aeroporto e a chegar às vinícolas, Cordilheira e litoral.
    4. Caminhadas: boa parte de Santiago é plana, então use e abuse das suas pernas.
    5. Carro alugado: pode ser útil para conhecer os arredores.
    6. Ônibus intermunicipal: excelente para ir ao litoral de forma econômica.
    7. Bicicletas: para quem gosta de pedalar, elas funcionam, mas não chegam em todos os lugares.
    8. Uber: não é legalizado no país, mas ele roda em Santiago.
    9. Táxi: última opção para turistas porque os golpes são frequentes.
    10. Ônibus de turismo: no modelo hop on hop off, pode ser uma alternativa interessante

Muitas opções, né? Enfim, falemos sobre todas elas!

Como montar os itinerários? Aplicativo Red e site do metrô

Para saber qual metrô ou ônibus você precisa pegar em Santiago existem algumas opções bem simples e fáceis. A primeira é o Google Maps, que funciona super bem e te dá as rotas certinhas. A mesma coisa acontece com o Moovit, mas se você quiser serviços nativos, recomendo o Aplicativo Red, que cobre todos os transportes em Santiago, e o próprio site do metrô.

Entrando em “Tu Viaje” e “Planificador”, dá pra inserir a estação mais próxima de você, a estação de destino e calcular a rota. Ele te entrega uma rota super bonitinha e detalhada, então não tem erro! Você ainda consegue selecionar o horário da viagem e o dia da semana – e mais pra frente você vai entender a importância disso.

Ele te fala quanto tempo a viagem vai demorar, o número de estações pelas quais você vai passar, como pegar o metrô e até a baldeação.

Como é o metrô de Santiago?

O metrô de Santiago é de longe a melhor opção para cobrir distâncias média e longas. Isso porque ele está presente na maioria das zonas turísticas da cidade, e sendo assim, te poupa de ter que pensar muito antes de entrar em uma estação. Contudo, vamos falar mais detalhadamente sobre ele.

Sete linhas cruzam as comunas de Santiago:

      1. Vermelha – principal linha para turistas, passa pelo centro e segue pela Providência e La Condes.
      2. Amarela – passa pelo Parque O’Higgins.
      3. Roxa
      4. Azul
      5. Azul claro (4A)
      6. Verde – passa pela Quinta Normal, centro e o comecinho da Providencia, na altura do Barrio Italia.
      7. Violeta

Mapa do metrô de Santiago

Como ele funciona?

Se você já andou de metrô alguma vez na vida, não se preocupe, o de Santiago será igualzinho. Contudo, se ele será o seu primeiro, eu te explico tudo.

Qual o horário de funcionamento?

O metrô de Santiago funciona diariamente, das 06h às 21h durante os dias de semana, das 07h às 21h aos sábados, e das 08h às 21h nos domingos e feriados.

Como comprar as passagens?

Agora, seu primeiro passo será comprar o cartão Bip! Ele funciona como um Bilhete Único/RioCard: é recarregável e pode ser usado tanto no metrô quanto nos ônibus.

Foto do Cartão Bip!, essencial para usar os transportes de Santiago

Para comprá-lo, basta se dirigir a um dos guichês das estações de metrô e pagar por ele. Atualmente (maio de 2021), o cartão custa 1.550 pesos chilenos, e além disso, também é necessário colocar dinheiro para as passagens em si.

Além disso, também é possível comprar o cartão nos tótens de autoatendimento, mas eles não devolvem troco!

Qual o valor das passagens do metrô de Santiago?

O valor mínimo para recarregar o Bip! é 100 pesos chilenos, e para saber de quanto você precisa para fazer suas viagens, consulte a tabela abaixo, porque os preços variam de 640 a 800 pesos (maio de 2021), de acordo com os horários do dia.

Tarifas de metrô de Santiago

Fonte: Site oficial do metrô de Santiago

O dia é dividido em três períodos: horário de pico, horário fora de pico, e horário super fora de pico. O primeiro vai das 07h às 09h e das 18h às 20h, e é durante esses intervalos que você vai pagar mais caro pelas passagens. Depois, os valores intermediários são cobrados das 09h às 18h e das 20h às 20h45, e finalmente, os mais baixos das 06h às 07h e das 20h45 às 21h.

Aos fins de semana, o dia todo funciona de acordo com os valores do horário fora de pico, ou seja, os preços intermediários.

Como recarregar o Bip!?

Você pode recarregar seu cartão tanto nos guichês, com atendentes oficiais, quanto em tótens de autoatendimento, lojas credenciadas, na internet e por meio do aplicativo Red.

Apesar de toda facilidade, algumas linhas do metrô de Santiago não funcionam de maneira linear, então é importante ficar atento! E como eu sei disso? Resumindo, aprendi da pior forma possível.

Operação Expressa

Foto da L1 - vermelha do metrô, um dos principais transportes de Santiago

Metrô de Santiago

Em um dos meus dias na cidade, me perdi toda no metrô. Era dia de conhecer a região da Quinta Normal, então sai do meu hostel na Providencia, peguei o metrô na estação Manuel Montt, da L1, e fui em direção a San Pablo. Precisei baldear para a L5 na Baquedano, fiz todo o processo e peguei a primeira composição que passou na plataforma, rumo a Plaza de Maipu. E foi aí que tudo começou a dar errado.

Percebi que o metrô não parava em todas as estações: ele intercalava as paradas, e para o meu azar, peguei justamente a composição que não passaria pela Quinta Normal. Obviamente, só me toquei disso depois de (1) passar pela estação certa e (2) descer e pegar de novo o metrô errado.

Depois da confusão descobri que aquela era a Operação Expressa. Ela acontece nos dias de semana, durante os horários de pico, e intercala as parada de acordo as cores das estações: verdes ou vemelhas. Quando você olhar os mapas do metrô nas estações, vai perceber que algumas estações são vermelhas e outras são verdes, e essa mesma identificação acontece nos vagões. Então, se pegar a L2, L4 ou L5 nos horários de pico, dá uma olhada na cor da estação pra onde você precisa ir, e pegue a composição de mesma cor!

Bem como algumas estações, como a Baquedano, são vermelhas e verdes: nelas passam metrôs de ambas as cores, e é ali que você precisa se organizar pra não se perder.

Para baixar: Operação Expressa

Atualmente (maio de 2021) ela está suspensa, contudo, deixo aqui três tabelas para vocês salvarem quando ela voltar. Em resumo, pegando uma composição verde você só pode descer nas estações verdes. Já nas composições vermelhas, só é possível sair em estações vermelhas.

Essas são as estações que operam com vagões verdes e vermelhos.

Por outro lado, em dias de semana e em horários de pico, essas aqui fazem parte do grupo verde:

E por fim, essas são as estações do grupo vermelho!

Se preferirem, aqui estão as tabelas em PDF.

OPERAÇÃO EXPRESSA METRÔ DE SANTIAGO

Lembrando que a operação está suspensa no momento.

Para onde ir de metrô?

Pra cidade toda! A maioria dos pontos turísticos são acessíveis de metrô, e para facilitar, montei um infográfico com as estações próximas das principais atrações. Contudo, é importante saber que muitas vezes, você não vai precisar “pular” de estação em estação para fazer seu roteiro. Por exemplo, pra conhecer o centro histórico, você só precisa descer em uma das estações e pode passar por todos os outros pontos andando.

Não esqueçam de salvar!

Como andar de ônibus em Santiago?

Já que agora você já sabe tudo sobre o metrô, vamos falar um pouco sobre outra modalidade nos transportes em Santiago: os ônibus! A cidade conta com uma complexa e moderna rede de ônibus, com linhas que conectam toda a cidade e corredores exclusivos nas principais avenidas.

Foto da Cordilheira com um ônibus, que faz parte dos transportes de Santiago

Centro de Santiago

Não existe muito segredo: basta usar os apps e sites citados lá em cima pra descobrir qual ônibus pegar, esperar no ponto certo, entrar no ônibus, passar o seu cartão Bip! e descer na parada correta. O único ponto de atenção por aqui é a forma de pagamento: apenas os cartões Bip! são aceitos, então garanta que o seu estará carregado antes de embarcar.

Enfim, na hora de considerar os melhores transportes em Santiago pra você, pense também no trânsito. Se por um lado você conhece mais da cidade pelas janelas do ônibus, o metrô percorre o subterrâneo bem mais rapidamente.

Como conhecer Santiago caminhando?

Não é surpresa pra ninguém que eu amo andar bastante quando viajo, e como a capital chilena é uma cidade majoritariamente plana, eu fiz a festa – leia-se andei mais de 20km por dia. Pode parecer exagero, mas como as regiões turísticas de Santiago ficam relativamente próximas, é possível reduzir bastante o uso do metrô de Santiago, de ônibus e carros na sua viagem.

Além disso, a segurança é outro fator de relevância. As áreas de Las Condes, Vitacura e Providencia são bem seguras e nos deixam à vontade para caminhar bastante, é claro, tomando todos os cuidados que cidades grandes exigem. Por outro lado, o centro pode ser um pouco mais hostil, com vários relatos de furtos, e por isso eu não recomendo andar muito por lá à noite e em dias mais calmos, como os domingos. Em dias de semana e horários comerciais, pode ir sem medo – e mais uma vez, sendo prudente: evite andar com o celular na mão, deixe a câmera na bolsa, fique atento e desvie de ruas muito vazias.

Contudo, o principal segredo pra caminhadas de sucesso é entender a cidade e os seus limites. Para isso, eu indico montar um mapa interativo no Google My Maps. Lá você pode adicionar todos os pontos turísticos que quer visitar e criar rotas entre eles, o que te dá uma boa noção espacial de Santiago e o que se encaixa no seu condicionamento físico.

Leia também: 17 Parques em Santiago para você colocar no seu roteiro

Por exemplo: se você estiver hospedado em Lastarria, dá perfeitamente pra conhecer todo o centro histórico sem precisar de nada além das pernas. Mas, se você quiser esticar até a Quinta Normal, avalie sua disposição, porque a distância vai ser mediana. Por outro lado, com uma acomodação em Lastarria é fácil conhecer o comecinho da Providencia, com o Barrio Italia. Mas já fica mais complicado andar até o Costanera, que fica nos limites da região, bem na divisa com Las Condes.

Uber funciona na cidade?

Entrando na seara de transportes privativos, hoje em dia todo mundo pensa em chamar um Uber ou aplicativo semelhante quando precisa de um carro particular. Mas no Chile as coisas são mais complicadas. Entre idas e vindas, o serviço não é legalizado no país, o que não impede o aplicativo de rodar, motoristas de trabalharem assim e milhares de pessoas de usarem o Uber.

Eles circulam, sim, em Santiago, e na maioria da cidade não é muito complicado chamar um – salvo no aeroporto. O serviço é relativamente seguro, mais barato do que os táxis e você provavelmente vai ter que viajar no banco da frente, pra evitar suspeitas da polícia, mas esse é só o menor dos problemas. Eu não usei na minha viagem nem recomendo que você use. E o motivo é simples: ele é ilegal.

Eu simplesmente não tenho como recomendar algo que não é legalizado em um país. Se você quer usar, vai em frente, mas saiba que é, sim, errado, e de longe uma das piores opções de transportes em Santiago. Concordemos ou não com essa modalidade e suas implicações na vida das grandes cidades, nós não somos chilenos. Não moramos no país e não é da nossa conta opinar sobre o que deveria ou não ser legalizado por lá, sabe?

Pode ser que eu seja certinha demais, que tenha medo demais ou responsabilidade demais sobre o que eu publico aqui, mas nessa situação ou em outra, seria prepotência e falta de respeito demais dizer o que outro país deveria fazer. Então eu sigo as regras. Respeito. Tento entender a situação. E sigo minha vida de ônibus, metrô ou andando.

Os táxis são uma boa opção?

A resposta curta é nem sempre, mas precisamos considerar alguns pontos. O primeiro é o trânsito caótico de Santiago, que é uma metrópole como qualquer outra. Isso já tira pontos de quaisquer transportes em Santiago que envolvam ruas e avenidas, incluindo os táxis.

Táxi nas ruas da Providencia

Depois, temos os valores. Andar de táxi por lá não é barato, o que só piora quando ficamos sabendo dos inúmeros relatos de golpes. Muitos turistas sofram na mão de taxistas que trocam as notas e falam que você não pagou tudo, adulteram o taxímetro e escolhem caminhos mais longos.

Por outro lado, é melhor pegar um táxi do que um Uber, que é ilegal, e algumas formas mais seguras e certeiras de fazer isso são por meio de indicações e apps oficiais. Se estiver em um hotel ou restaurante, peça indicações e combine o preço da corrida antes de entrar no carro, e caso isso não seja possível, use os apps Easy Taxi e Safe Taxi. Assim você consegue acompanhar a rota e pagar antecipadamente com cartão de crédito – lembre de pensar na taxa do IOF.

Vale a pena alugar um carro?

Depende muito. Como já comentei, a cidade tem um trânsito frenético, então vincular todas as suas saídas a um carro, que potencialmente ficará parado num engarrafamento, não é a melhor das opções de transportes em Santiago. Além disso, estacionar em alguns lugares turísticos, como o centro, não é muito fácil. Por isso, se você vai fazer um roteiro clássico em Santiago, eu não recomendo alugar um carro. Vai ser caro, te dar dores de cabeça e virar um problema ao longo dos dias.

Carros na rua em Santiago

Contudo, se você quer conhecer outras cidades e vinícolas, e não gosta da ideia de pegar um ônibus ou contratar passeios, pode ser interessante alugar um carro sim. E a mesma coisa vale pra quem quer subir a Cordilheira, com um ponto de atenção a mais: dirigir na Cordilheira não é simples e exige alguma experiência, especialmente nos meses em que a neve pode cair na rodovia.

Dá pra andar de bicicleta?

Dá sim! Existem alguns serviços de aluguel de bicicleta na cidade, e um deles é do Itaú e bem parecido com o sistema que temos no Brasil. Você pode pegar sua bicicleta em vários pontos da cidade e percorrer muitas regiões com ela, mas tenha em mente que nem todos os lugares são amigáveis para ciclistas. Além disso, você vai ter que ficar com ela até encontrar um ponto de coleta, então monte bem o seu roteiro pra ela não virar uma pedra no seu caminho.

E o ônibus de turismo?

Primordialmente, Santiago conta com uma empresa de ônibus do tipo hop on hop off, que passa por vários pontos turísticos e você pode descer e subir quando quiser, de acordo com os horários estabelecidos. A responsável pelo ônibus é a Turistik, e eles oferecem uma série de opções e pacotes para a compra.

Para o passeio tradicional, os valores começam em 23.000 CLP para um itinerário entre Providencia, Las Condes e Vitacura:

      1. Mall Parque Arauco
      2. Parque Bicentenario
      3. Hotel Sheraton
      4. Providencia
      5. Mall Costanera Center
      6. Museo Interactivo Las Condes
      7. Escuela Militar
      8. Pueblito Los Domínicos / Museo de Cera
      9. Nueva Las Condes
      10. Parque Araucano

Por conta da pandemia, as opções de trajetos estão restritas. Contudo, em outros tempos, também é possível usar o ônibus no centro.

Como fazer os passeios para outras cidades?

Ir pra capital do Chile costuma significar dar um pulinho em outas cidades também, e pra isso, precisamos pensar nos transportes em Santiago de acordo com o destino. E eu gosto de dividi-los em três: Cordilheira, Litoral e Vinícolas.

Transporte coletivo: apenas para o Litoral e algumas vinícolas.
Carro: todos são acessíveis, mas a Cordilheira é desaconselhada.
Passeios por agências: todos são acessíveis.

Cordilheira

Passeio para Portillo

Os principais passeios para conhecer a Cordilheira dos Andes, a partir de Santiago, são Valle Nevado, Farellones, Portillo, La Parva, Cajón del Maipo e El Colorado. Em alguns deles você pode esquiar (Valle Nevado, La Parva, El Colorado), em outros pode brincar na neve (Farellones), e nos outros dois, admirar a natureza e a Cordilheira (Portillo e Cajón del Maio). Mas a minha recomendação de transportes em Santiago é a mesma para todos: vá com uma agência.

Leia também: Parque Quinta Normal em Santiago: onde fica, como chegar, o que fazer e mais

Sim, é possível dirigir pela Cordilheira para conhecer todos, mas isso requer muita prudência e experiência, especialmente no inverno, quando a rodovia fica mais perigosa.

Litoral

Enfim, para chegar até lugares como Viña del Mar, Valparaíso, Isla Negra e Algarrobo você pode escolher o que quiser. Ônibus da Bahia Azul, Pullman e Turbus fazem os trajetos, a estrada para quem quiser dirigir é boa, e as mais diversas agências oferecem os passeios também.

Ônibus Santiago  > Valparaíso

Aqui, a grande diferença está no seu estilo. De carro, terá mais liberdade pra circular. De ônibus vai economizar bastante. E com uma agência, vai ter um guia pra te acompanhar sem ter que se preocupar com nada.

Mais detalhes sobre os ônibus

Se você optar pelos ônibus, saiba que tudo vai ser bem fácil, prático e tranquilo. Enquanto a Turbus e a Pullman são as responsáveis pelo trecho mais buscado, Santiago > Viña del Mar/Valparaíso, a Bahia Azul, a Pullman e a Turbus te levam pra Algarrobo, e só a primeira opera o trecho até Isla Negra, além de outros destinos.

Dessa forma, você pode comprar suas passagens na hora ou pela internet, e comprar com antecedência só vale a pena se você tiver um compromisso marcado, for de fim de semana ou durante a alta temporada (verão). Em caso negativo, pode deixar para comprar na hora mesmo, na rodoviária.

Os carros da Bahia Azul saem do Terminal Sur, pertinho da estação Universidad de Santiago (L1 – Vermelha), enquanto a Turbus e a Pullman operam no Terminal Pajaritos (L1 – Vermelha) e também no Alameda (estação Universidad de Santiago).

Transportes de Santiago: o Terminal Pajaritos concentra várias opções

Terminal Pajaritos

Eu fui para Valparaíso e Viña del Mar com a Turbus e não tenho do que reclamar. As viagens foram ótimas, baratas e fáceis. Sobre preços, todos os trechos costumam custar de 4.000 a 7.000 CLP.

Vinícolas

Por fim, conhecer as vinícolas é simples. Você pode fechar pacotes com agências, ir com um carro alugado ou até mesmo usar os transportes em Santiago que são públicos. Algumas opções são a Vinícola Concha Y Toro, Santa Carolina, Cousiño Macul e Undurraga, que são acessíveis de metrô + ônibus ou táxi.

Como sair e chegar até o aeroporto?

O Aeroporto de Santiago fica na região metropolitana da capital, a cerca de 16km do centro da cidade, e não conta com uma estação de metrô. Contudo, é simples chegar e sair do aero, principalmente durante o horário comercial.

Leia também: Como é viajar de São Paulo a Santiago com a LATAM

Sendo assim, as principais maneiras de transportes em Santiago para/desde o aeroporto são os ônibus, transfers e táxis oficiais. O principal ponto aqui, e ele serve para qualquer lugar do mundo, é apenas utilizar serviços oficiais. Optar por serviços alternativos pode te deixar no prejuízo, no melhor dos casos, ou te colocar em perigo, em especial se você estiver viajando sozinha. Por isso, garanta que seu transporte é oficial e registrado, e a melhor forma de fazer essa confirmação é por meio do site oficial do aeroporto.

Ônibus

Terminal Pajaritos, que concentra algumas opções de transportes de Santiago

A forma mais barata de fazer os trajetos desde/para o aeroporto é de ônibus, e duas empresas realizam esse serviço: a Turbus e a Centropuerto. Elas utilizam ônibus de viagem – assim, confortáveis – e circulam entre o Aeroporto e estações de metrô da área central de Santiago: o Terminal Alameda, no caso da Turbus, ou a estação Los Heróes, para a Centropuerto.

O Terminal Alameda fica pertinho do Parque Quinta Normal e é conectado à estação de metrô Universidad de Santiago, da L1 – vermelha. Assim, você pode pegar o ônibus no aeroporto, descer na estação e seguir de metrô até a sua hospedagem. Da mesma forma, optando pela Centropuerto, o esquema é o mesmo, só que na estação Los Heróes, próxima do Palacio de la Moneda. Ali você também pode pegar a L1 do metrô.

Além disso, um ônibus da Turbus também sai do aero rumo ao litoral, passando em Viña del Mar e Valparaíso.

Transfer

Se seus voos forem de madrugada, você estiver com muitas malas ou quiser uma das opções mais seguras, eu sugiro contratar um transfer. Como eu estava sozinha e todos os meus voos saindo e chegando de Santiago eram de madrugada, essa também foi a minha escolha – e não me arrependo nadinha.

Atualmente, duas empresas realizam esse serviço: a Transvip e a Transfer Delfos, que oferecem transfers privativos e compartilhados entre o aeroporto e a sua acomodação. Funciona assim: você pode contratar o transfer antecipadamente, pelo site, ou assim que seu voo chegar, e existem duas grandes diferenças entre o serviço privativo e o compartilhado: preço e tempo.

Eu fiz todos os meus trajetos com a Transvip e recomendo a empresa, contudo, acho prudente ler as últimas avaliações de ambas no TripAdvisor antes de fazer sua escolha. Em relação aos preços, eles são semelhantes e praticamente tabelados:

Táxis oficiais

Uma maneira mais cara, porém segura de sair do aeroporto é por meio dos táxis oficiais. O guichê oficial é da Táxi Básico Oficial, e a depender da classe do táxi, as tarifas podem variar, mas no geral elas são tabeladas pela região de destino: Centro, Providencia, Las Condes, Vitacura e assim vai.

Um grande ponto de atenção aqui é só pegar táxis oficiais, reservando o serviço nos guichês dentro do aeroporto. Táxis de rua não são uma boa opção para turistas, por conta dos frequentes golpes, e muitos taxistas não regulamentados vão te abordar no aero, mas não caia na história deles! Lembre-se que estamos falando da sua segurança aqui, pra além de prejuízos financeiros.

Aluguel de carros

Uma infinidade de empresas de aluguel de carros pode ser contratada no Aeroporto de Santiago, mas reforçando o que eu já expliquei antes, essa só é uma opção caso você vá para outras cidades, queira subir a cordilheira de carro (e tenha experiência para isso) ou tenha necessidades específicas de mobilidade.

Para fazer o circuito turístico tradicional da capital chilena, carros mais atrapalham do que ajudam: é difícil estacionar, o trânsito é ruim, nada é tão longe assim. Então, economize seu dinheiro.

Uber

Por último, como já comentei antes, o Uber não é legalizado no Chile. Por mais que ele circule, sim, e muita gente use, eu não vou recomendar aqui um serviço ilegal, então indico não se arriscar com carros de aplicativo. Além disso, não é tão simples assim conseguir um Uber no aeroporto, justamente porque a fiscalização é mais pesada e os motoristas têm receio.

Se quiser economizar com os transportes em Santiago, opte pelos ônibus ou transfers compartilhados. Se quiser conforto, vá de táxi oficial ou transfer privativo. Mas tente não fazer nada fora da lei em outro país (no Brasil também, mas enfim, vocês entenderam).

Planejando a sua viagem: descontos!

Seguro viagem: 5% de desconto na Seguros Promo com o meu link

Airbnb: até R$ 350 de desconto em hospedagens e experiências (válido para o primeiro cadastro)

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *