Europa,  França,  Hostels,  Paris

Como é se hospedar no Young & Happy Hostel | Hospedagem em Paris

Paris é, de longe, a cidade mais cara para hospedagem que eu já conheci. Para o meu orçamento de estagiária, era praticamente impossível conseguir ficar em um hostel bom ou ao menos com um quarto individual, como consegui na Espanha. Então a minha solução foi escolher o que parecia ser menos pior e cabia no meu bolso.

Com poucas opções, e a maioria delas em locais afastados da cidade — que eu já conhecia por serem meio inseguros à noite — o único hostel com localização central era o Young & Happy Hostel.

A localização dele não poderia ser melhor: no Quartier Latin, que literalmente é o centro de Paris, ao lado do Panthéon, do Jardim de Luxemburgo, da Notre Dame e de várias estações de metrô. Além disso, ele fica na Rue Mouffetard, super jovem, badalada e cheia de restaurantes legais.

Para quem já leu outros posts deste blog, eu passei uma noite super delícia por ali em 2013, quando fiz intercâmbio em Paris. E esse dia está, definitivamente, nas minhas melhores lembranças daquela época.

O lado emocional bateu e eu reservei o hostel: um quarto feminino com seis camas e banheiro interno. Foi uma escolha pensada, mas confesso que fiquei um pouco apreensiva. Da mesma forma que li avaliações boas, também li algumas bem ruins, que inclusive citavam os temidos bed bugs.

Para quem não conhece, os percevejos são muito comuns em acomodações no mundo todo, por mais que pouco se fale deles em hotéis brasileiros. São pequenos bichinhos que vivem nas roupas de cama e se alimentam do nosso sangue, fazendo um verdadeiros estrago.

Além de te deixarem com várias picadas doloridas, que inclusive podem inflamar, eles viram uma praga: uma vez que entraram na sua mala, você vai ter um trabalho gigantesco para conseguir se livrar deles, e muita gente recomenda lavar absolutamente tudo com água quente e secar com secador. Além de jogar tudo o que não é lavável fora.

De qualquer forma, decidi reservar o hostel por 162,30 euros para três diárias. Em comparação, paguei 54 euros para o mesmo número de diárias no Bastardo Hostel, em Madrid, que tinha acabado de abrir, era incrível e só tinha avaliações positivas. Foi uma diferença de só 500 reais.

Experiência no Young & Happy Hostel

Chegar até ele foi tranquilo. Eu já conhecia a região e aproveitei a caminhada para revisitar alguns lugares que moram no meu coração, pra sempre.

Na Rue Mouffetard, encontrei uma entrada pequena mas fácil de ser identificada, e lá dentro, uma pequena recepção, onde uma funcionária super simpática e educada me recebeu.

 

Paguei o preço combinado pelo Booking e recebi a chave do meu quarto, que era magnética e servia não só para abrir o quarto, mas também o prédio onde ele ficava. Um dos pontos mais positivos do Young & Happy é que ele tem dois prédios, um deles apenas para acomodações femininas.

Quando você é uma mulher e viaja sozinha, esses pequenos detalhes fazem a diferença e trazem um pouco mais de tranquilidade.

 

Meu quarto ficava no primeiro andar e, depois de uma subida um pouco complicada pela íngreme e não muito segura, entrei no quarto. Encontrei um espaço com dois cômodos: o primeiro com duas beliches e um pequeno lavabo, e o segundo, mais intimista, com uma beliche e o banheiros propriamente dito.

Escolhi a cama de baixo nesse segundo cômodo e não me arrependi. Fiquei do lado da tomada e isso facilitou a minha vida.

O primeiro cômodo do quarto onde fiquei

Sobre o quarto, estava limpo e um pouco desorganizado, afinal, outras pessoas já estavam ali. Tirando a ausência de um ventilador, que já era esperada em Paris, não tenho do que reclamar. É claro, eu preferiria estar em um quarto de hotel, mas a ausência de um pouco de luxo não foi um problema.

Pontos positivos

A melhor parte do hostel é a sua localização: melhor impossível, sério. Se você vai se hospedar em Paris, precisa entender um pouco da sua geografia. A cidade é dividida em arrondissements que formam um caracol, então nem sempre um bairro que fica literalmente ao lado de uma região boa vai ser igualmente agradável.

No geral, é tranquilo ficar em qualquer local, mas eu prefiro restringir as possibilidades ao que é mais garantido e próximo da região central, ainda mais viajando sozinha. Então eu recomendo os arrondissements 1, 2, 3, 4, 5 (o mais perto do Jardin du Luxembourg melhor), 6, 7, 8, 9 (se for próximo ao Boulevard Haussmann), 11 (se for perto da Bastilha), 15 (garantido se for próximo da Champs de Mars, não posso falar sobre a região mais ao sul) e 16.

O Young & Happy é bem central e fica no 5, e além disso, fica do lado de uma estação de metrô (Place Monge) e em uma rua super badalada.

Outros pontos positivos são a simpatia dos funcionários, a limpeza dos quartos (não tive nenhum incidente com bed bugs), o conforto considerável das camas, o fato de ter um banheiros e um lavabo nos quartos, a separação dos prédios e a estrutura em si, muito bem preparada. Além, é claro, da vibe jovem e gostosa de um hostel.

 

Pontos negativos

Bom, o hostel é caro. Não tem café da manhã incluído, não tinha ar nem ventilador (já esperado para Paris, mas mesmo assim é bom citar), nenhuma amenidade de banho (tinha no Bastardo), nem toalhas disponíveis gratuitamente. Além disso, os armários disponíveis são pequenos e não comportam malas de rodinhas.

Também cito que a escada para subir aos quartos é íngreme e insegura e que o chuveiro, por mais que tenha uma pressão ótima, desliga sozinho. Então às vezes você precisa dele ligado por mais tempo, e aí ele desliga. Ou precisa dele rapidinho, mas não tem como desligar.

No mais, eu recomendo o hostel, afinal, ele é caro mas uma opção ainda viável para essa região de Paris. Aliás, eu não recomendaria nenhuma outra na cidade, até porque sou eternamente apaixonada pelo Quartier Latin. E nada como passar pela Notre Dame todos os dias para garantir que a viagem vai ser ainda mais incrível.

Young & Happy Hostel

Endereço: 80 Rue Mouffetard, Paris

Link no TripAdvisor

Link no Booking

Todas as fotos foram retiradas da página do Booking do hostel

Um comentário

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *